Brasil desce 10 posições no ranking global de percepção da corrupção

Queda no índice de 2023 reflete desafios na luta contra a corrupção; país agora ocupa a 104ª posição

Por Plox

30/01/2024 09h09 - Atualizado há 5 meses

Em 2023, o Brasil sofreu uma queda significativa no IPC (Índice de Percepção da Corrupção), caindo 10 posições para ocupar o 104º lugar entre 180 países. O índice, compilado pela Transparência Internacional, avaliou o Brasil com uma pontuação de 36 em 100. A Dinamarca lidera o ranking com uma pontuação de 90. Este índice é uma referência global, avaliando a percepção de corrupção no setor público em diversos países.

MARCELLO CASAL JR/ AGÊNCIA BRASIL

Comparação com Médias Globais e Regionais A pontuação do Brasil está abaixo tanto da média global quanto da média regional das Américas, que é de 43 pontos. A queda no índice distancia o Brasil das nações do G20 em termos de percepção da corrupção. O país já registrou pontuações mais altas, como em 2012 e 2014, onde atingiu 43 pontos.

Contexto Atual e Resposta da CGU A Transparência Internacional destacou que o Brasil enfrenta desafios na reconstrução de mecanismos anticorrupção e na manutenção de sistemas democráticos de freios e contrapesos. Em resposta, a CGU (Controladoria-Geral da União) afirmou que está trabalhando para restabelecer a estrutura dos conselhos de políticas públicas e fortalecer a integridade dos órgãos federais, além de implementar programas de prevenção à corrupção.

Perspectiva Internacional e Ações Futuras O presidente da Transparência Internacional, François Valérian, enfatizou a importância de investir em políticas que garantam a independência das instituições e o combate à corrupção. O IPC é uma ferramenta útil para avaliar a percepção da corrupção, mas como a CGU ressalta, deve ser interpretado com cautela devido às limitações metodológicas de índices baseados em percepção.

Destaques