Entendendo o zumbido no ouvido: causas e tratamentos disponíveis

Condição complexa relacionada a fatores auditivos e cerebrais, explica neurocientista

Por Plox

30/01/2024 17h04 - Atualizado há 6 meses

O zumbido no ouvido, também conhecido como acufeno, é uma condição que gera percepção de sons semelhantes aos de insetos, mesmo na ausência de ruídos externos. Essa condição, muitas vezes associada a problemas de audição, também possui uma importante conexão com o cérebro, conforme esclarece o Dr. Fabiano de Abreu Agrela, pós-PhD em neurociências e membro da Society for Neuroscience, nos Estados Unidos.

Causas do Zumbido no Ouvido De acordo com o Dr. Fabiano de Abreu, o zumbido no ouvido é a percepção de um som sem uma fonte sonora externa. Esse fenômeno pode ser resultado de alterações na atividade dos núcleos cerebrais da audição. "Essas alterações desencadeiam estímulos que são interpretados erroneamente pelo cérebro como sons", detalha o especialista.

 

Tipos de Zumbido no Ouvido Existem dois tipos principais de zumbido:

  1. Acufeno Subjetivo: Originado por atividades irregulares no córtex auditivo cerebral, que interpreta certos estímulos como sons. É o tipo mais comum.
  2. Acufeno Objetivo: Resultante de ruídos causados pelo fluxo sanguíneo em veias e artérias próximas ao ouvido, lesões cranianas, certas doenças, tumores ou espasmos musculares, produzindo sons como estalos.
  3.  

Relação entre Cérebro e Zumbido O neurocientista ressalta que os estudos sobre o zumbido no ouvido indicam a participação de várias regiões cerebrais no processo. "Além do córtex auditivo, áreas como a amígdala, o córtex insular e o córtex cingulado anterior estão envolvidas", afirma o Dr. Abreu. Ele também menciona que traumatismos cranianos, transtornos, tumores e doenças como a esclerose múltipla apresentam fortes indícios de relação com o acufeno.

 

Tratamento para o Zumbido no Ouvido O tratamento do acufeno envolve métodos variados, devido à sua complexidade e natureza multifatorial. Entre as opções disponíveis estão a terapia sonora, o uso de aparelhos auditivos em certos casos e a terapia comportamental. Alguns medicamentos podem ser usados para aliviar sintomas associados, como dificuldades para dormir, mas não são específicos para tratar a condição. O Dr. Fabiano de Abreu ressalta a importância de buscar orientação médica para um diagnóstico e tratamento adequados.

 

Sobre o Dr. Fabiano de Abreu Agrela Rodrigues O Dr. Fabiano de Abreu é Pós-PhD em Neurociências, membro de diversas sociedades científicas internacionais, incluindo a Society for Neuroscience nos Estados Unidos e a Royal Society of Biology no Reino Unido. Com formação em Psicologia, Biologia e História, e tecnólogo em Antropologia e Filosofia, ele possui vasta experiência em Neurociências e Neuropsicologia, sendo autor de mais de 220 artigos científicos e 17 livros.

Destaques