PMI implanta projeto voltado para moradores de rua

30/08/2019 14:15

A Patrulha tem por objetivo a preservação da dignidade humana, bem como mapear a cidade no que diz respeito às áreas de vulnerabilidade social

Publicidade

A Prefeitura de Ipatinga vem realizando e articulando uma série de programas, projetos e serviços com benefícios voltados para pessoas em situação de rua. Dentro deste contexto de desenvolvimento e execução de políticas públicas, foi iniciada neste mês de agosto a Patrulha de Prevenção Social, uma iniciativa que conta ainda com a colaboração das Secretarias de Segurança e Convivência Cidadã (Sescon) e Serviços Urbanos e Meio Ambiente (Sesuma), além da Polícia Militar.
  
Um projeto inovador, a Patrulha tem por objetivo a preservação da dignidade humana, bem como mapear a cidade no que diz respeito às áreas de vulnerabilidade social. 

Foto: Divulgação PMIMORADOR-DE-RUA

Conforme a secretária-Adjunta de Assistência Social, Cláudia Castro, “as abordagens realizadas pelos integrantes do projeto vão identificar crianças e adolescentes em situação de trabalho infantil, de exploração sexual e pessoas em situação de vulnerabilidade e de abandono”. 

“O projeto já vem atuando no município há aproximadamente dez dias. No primeiro momento vem sendo realizado um mapeamento de áreas e visita a empresários locais com objetivo de apresentar os serviços executados pelo município”, expõe Cláudia. 

Ela explica que a Secretaria de Assistência Social recebe diariamente muitas ligações solicitando intervenções no que diz respeito a pessoas em situação de rua. E lembra que “a questão deste grupo populacional se agravou com a crise econômica do país, constituindo-se hoje num fenômeno desafiador”. 

Ainda conforme Cláudia Castro, os direitos desse público são previstos no Decreto 7.053, de 23 de dezembro de 2009, que institui a Política Nacional para a População em Situação de Rua. Atualmente, há 182 nomes catalogados como pessoas em situação de rua no Cadastro Único (CadÚnico) de Ipatinga. Destas, 117 são beneficiárias do Programa Bolsa Família. Para ter direito ao benefício é preciso que a pessoa esteja há mais de dois meses vivendo em condição de rua na cidade. 

As visitas realizadas pela Patrulha de Prevenção Social contam com a presença de técnicos das Secretarias envolvidas e policiais militares. Todos os membros do grupo foram escolhidos levando em consideração o perfil adequado para escuta e acolhida. 

Trabalho integrado
Segundo o comandante da 82ª Cia. de Polícia Militar, capitão Lindhon Jonhson, “essa parceria entre a PM e a Prefeitura, com o suporte da Secretaria de Assistência Social, tem sido muito importante e eficaz dentro daquilo que nos propomos a realizar. Vamos atualizar o diagnóstico em relação aos moradores de rua, identificar situações de violações de direitos contra crianças e adolescentes, possibilitando montar estratégias para lidar com diversas situações de vulnerabilidade social e construir ações conjuntas das forças de segurança e poder público”, salienta. 

Ainda conforme o policial, “a iniciativa da Patrulha de Prevenção Social nasceu da necessidade de um trabalho articulado entre diversos segmentos, uma vez que as questões sociais são complexas e exigem uma atuação integrada e sistematizada".

Para o secretário de Assistência Social de Ipatinga, Lucio Aguiar, "a sociedade muitas vezes não entende este fenômeno social, exigindo em alguns casos ações que não condizem com a política pública existente no país. É importante conhecer o motivo que levou cada pessoa à rua, de forma humanizada, garantindo os direitos destes cidadãos”, observa. 

Instrumentos de amparo
A Prefeitura de Ipatinga conta com o Centro de Referência Especializado para a População de Rua (Centro Pop), que fica na rua Pouso Alegre, 34, Centro. No local é ofertado atendimento especializado com assistente social e psicólogo, assim como espaço para higiene pessoal e lavagem de roupas. 

Além disso, a cidade conta com uma instituição de acolhimento noturno, o Parusia, conhecido popularmente como Albergue. A unidade tem capacidade para receber 40 homens e dez mulheres, sendo oferecidas no espaço três refeições: café da manhã, almoço e jantar. 

A administração municipal conta ainda com o Consultório na Rua, com equipe especializada composta de médico, psicóloga, assistente social, técnico de enfermagem, enfermeira e agentes sociais. 

Para o prefeito de Ipatinga, Nardyello Rocha, "é muito importante o envolvimento de todas as Secretarias e da Polícia Militar neste projeto inovador (a Patrulha de Prevenção Social) que proporcionará maior acesso aos serviços às pessoas que mais necessitam de atendimento".
 



Publicidade