Pedreiro aprende balé para ajudar filhas autistas

30/09/2019 07:04

Joilson Santos é tido pela família como um homem “rústico”, mas que tem vencido o preconceito pelas filhas

Publicidade

Aos 54 anos, um pedreiro, pai de duas meninas autistas, resolveu aprender a dançar balé para ajudá-las. Joilson Santos e a esposa Jaqueline acompanham as filhas na primeira turma do Ballet Azul, do projeto Arte de Viver, que é mantido pela Prefeitura de Feira de Santana (BA).

No Brasil, é a primeira vez que aulas para autistas têm o acompanhamento integral dos pais. As aulas acontecem no Centro Cultural Maestro Miro. Há seis meses, o pedreiro se divide entre as obras e o balé com as pequenas Isabele e Iasmim, de 8 anos. 

Foto: reprodução Correio

Foto: Reprodução

Segundo o pedreiro, ele usa uma meia preta ao invés da tradicional sapatilha, porém, mais difícil do que superar o preconceito, é acertar os nomes de origem francesa dos passos da dança. E ele brinca com a situação: “Onde que eu imaginava que ia fazer isso [a dança]?”. Já, a esposa, também não fica atrás: “Quando que imaginei que meu marido, bruto desse jeito, ia dançar balé?”.

Ele já fez uma apresentação com as meninas e como era o único pai, chamou a atenção de toda a plateia. Por conta da dança, um dia após a apresentação, uma pessoa gritou do lado de fora da casa da família que Joilson “virasse homem” e até no trabalho foi alvo de brincadeiras, às quais, Joilson leva todas na esportiva.
O Ballet Azul Foto: reprodução Correio

Foto: Reprodução
Tido pela família como o homem mais “rústico” entre os sete irmãos, o pedreiro acabou ganhando o reconhecimento do irmão Juaci: “Mas vi depois que ele tem sensibilidade a ponto de aprender até balé para ajudar as filhas”, afirmou o irmão.

A família reunida com as duas filhas Foto: reprodução Correio

Foto: Reprodução

pedreiro_bale2

Foto: Reprodução



Publicidade