China ultrapassa Japão e se torna líder global em exportação de veículos

Crescimento chinês impulsionado pelo foco em carros elétricos, enquanto Japão mantém liderança em vendas globais

Por Plox

31/01/2024 08h32 - Atualizado há 5 meses

A China alcançou um marco significativo no mercado automobilístico, superando o Japão como o maior exportador mundial de veículos em 2023. Esta conquista, divulgada pela Associação de Fabricantes de Automóveis (JAMA) do Japão nesta quarta-feira (31), reflete o crescente domínio chinês no setor, especialmente em veículos elétricos. Em contraste, as montadoras japonesas, lideradas pela Toyota, continuam a dominar globalmente em termos de unidades vendidas.

Foto: Reprodução vídeo

Exportações e Crescimento do Mercado Em 2023, a China exportou 4,91 milhões de carros, superando os 4,42 milhões exportados pelo Japão. O governo chinês reportou um número ainda mais expressivo: 5,22 milhões de veículos exportados, representando um aumento de 57% em relação ao ano anterior. Esse crescimento é atribuído principalmente aos investimentos maciços em veículos elétricos, um setor em que o Japão tem sido mais cauteloso.

Estratégia das Montadoras Japonesas As fabricantes japonesas, como a Toyota, têm uma abordagem diferente. Produzem grandes volumes de carros em outros países, não dependendo apenas das exportações. Em 2022, a produção de veículos no Japão foi de 7,84 milhões de unidades, enquanto a produção no exterior atingiu 17 milhões. A Toyota, que confirmou sua posição de liderança mundial em vendas na terça-feira, foca mais em modelos híbridos do que em veículos puramente elétricos.

Futuro dos Veículos Elétricos no Japão As montadoras japonesas, pioneiras em híbridos como o Toyota Prius, planejam expandir sua presença no mercado de veículos elétricos. A Toyota tem como meta vender 1,5 milhão de carros elétricos anualmente até 2026, com planos de aumentar para 3,5 milhões até 2030. Além disso, a empresa investe em tecnologia de baterias, incluindo baterias de estado sólido que prometem maior autonomia e carregamento mais rápido.

Desafios Regulatórios e Competitivos O sucesso da China, liderado pela BYD, que recentemente ultrapassou a Tesla como a maior vendedora de veículos elétricos, não vem sem desafios. As empresas chinesas enfrentam acusações de práticas anticompetitivas nos mercados ocidentais. A Comissão Europeia, sob a liderança de Ursula von der Leyen, iniciou uma investigação sobre os subsídios chineses aos carros elétricos, que podem resultar em tarifas dentro da União Europeia.

Perspectiva Histórica Christopher Richter, analista da CLSA, comparou a situação atual com os anos 1980, quando o Japão começou a exportar massivamente automóveis. "Os japoneses resolveram a questão quando começaram a construir muitas fábricas no exterior (...) Fabricam no exterior quatro vezes mais do que exportam", lembrou Richter em outubro, destacando uma possível estratégia para enfrentar os desafios regulatórios e de mercado.

Destaques