Remédios do "kit intubação" precisarão de autorização da Anvisa para exportação

A decisão também mantém os remédios do "kit Covid" à lista dos que precisam de autorização prévia

Por Plox

31/03/2021 10h14 - Atualizado há cerca de 3 anos

O chamado “kit intubação” só poderão ser exportados com autorização prévia da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O kit é um conjunto de medicamentos necessários para realizar a intubação de um paciente. A decisão foi publicada nesta quarta-feira (31). 

Diversos profissionais de saúde relatam a falta de medicamentos que fazem parte do “kit intubação”. No domingo (28), dois pacientes morreram pela falta do kit, no interior de São Paulo. Eles estavam internados com Covid-19. 

Medicamentos do kit intubação como fentanil, midazolam, etossuximida, rocurônio, succinilcolina, heparina sódica suína, propofol, pancurônio, vecurônio, heparina sódica bovina, enoxaparina sódica e dexmedetomidina, na forma de matéria-prima, produto semi-elaborado e produto a granel ou produto acabado precisam de autorização para serem vendidos para fora do país. 

Os medicamentos como nitazoxanida, cloroquina, hidroxicloroquina, azitromicina e ivermectina, do conhecido “kit Covid” permanecem na lista dos que precisam de autorização prévia, mesmo tendo comprovado a ineficácia do kit contra a doença.

Ainda de acordo com a decisão, insumos farmacêuticos ativos, sais, éteres e ésteres dessas substâncias, oxigênio medicinal e vacinas contra a Covid necessitam da autorização prévia da Anvisa para exportação.

Destaques