Como lidar com a diminuição do apetite sexual no relacionamento

Buscar ajuda e comunicar-se são passos essenciais para manter a harmonia no casal

Por Plox

31/05/2024 14h38 - Atualizado há 20 dias

O desejo sexual pode oscilar ao longo da vida, assim como outros desejos, e essas variações podem ocorrer por diversos motivos. A psicóloga e sexóloga Bruna Coelho explica que "sempre existem eventos externos geradores de estresse, preocupações relacionadas a outras áreas da vida, luto, dificuldades financeiras, mudanças hormonais, problemas de comunicação com o parceiro, perda da admiração, entre outros." Em relacionamentos mais longos, a diminuição dos estímulos pode também impactar o apetite sexual.

Foto: Pixabay/ Reprodução

Casos de vida real e a importância da comunicação

Alexandre Martins e Jefferson Santos encontraram na comunicação a chave para lidar com as diferenças de desejo sexual. Jefferson explica que, inicialmente, a discrepância no apetite sexual não era um problema, mas "o Alexandre sempre teve mais apetite do que eu, e isso nunca foi um problema. Mas havia uma situação que me incomodava, que era o fato de ele gostar muito de transar pela manhã e eu preferir dormir." A situação se complicou quando Jefferson decidiu expressar seu incômodo, levando o casal a buscar soluções por meio do diálogo. Essa comunicação foi crucial para ajustar suas expectativas e necessidades.

Uma das mudanças significativas no relacionamento de Alexandre e Jefferson foi a abertura para a inclusão de um terceiro, mas com a regra de que isso só aconteceria com a participação de ambos. "A regra que temos hoje é que só podemos ficar com um terceiro se forem os dois juntos. Não temos essa abertura de procurar, cada um de nós, outro parceiro," explica Jefferson.

Compreensão e respeito às diferenças

Além da comunicação, a compreensão de que um relacionamento saudável vai além da questão sexual é fundamental. Alexandre destaca: "Por mim, eu transaria todos os dias, até mais de uma vez se desse, mas para ele não é assim que funciona. Mas a gente aprende a respeitar o espaço do outro e entender que o sexo é fundamental, mas não é a base de uma relação. Acima do tesão, a gente se ama, estamos construindo uma vida juntos."

Contextos que afetam a libido

A sexóloga Allys Terayama observa que contextos específicos podem acentuar as diferenças na libido, como maternidade, cirurgias ou problemas psicológicos. Nesses casos, "há um apoio clínico, mas também é preciso ser companheiro dessa pessoa, ter cuidado, respeito." Além disso, Allys aconselha que o casal converse e chegue a um consenso quando há perda de interesse por parte de um dos parceiros.

Quando buscar ajuda profissional

A busca por ajuda de um profissional é recomendada ao primeiro sinal de mudança no desejo sexual. A sexóloga Allys Terayama sugere que o primeiro passo seja um atendimento clínico para verificar questões hormonais e problemas de saúde. A médica Laura Elias Soares de Arruda reforça que a procura por um especialista é válida, independentemente da intensidade das queixas, e que o acompanhamento geralmente envolve profissionais de saúde mental.

Laura ressalta que o desejo sexual é uma interação complexa de fatores biológicos, psíquicos, cognitivos, emocionais e interpessoais, e que não existe uma resposta sexual "correta" ou "mais adequada." Cada caso é único, e desde que não haja um problema significativo para a pessoa, a variação no desejo pode ser uma característica pessoal, familiar ou cultural.

Destaques