Encontro de médicos com Bolsonaro gera polêmica envolvendo apresentadora da Globo

Durante a última live do presidente Bolsonaro, a ministra Damares chegou a dizer que a Globo deveria fazer um pedido de perdão à nação por ter mentido

Por Plox

31/08/2020 17h01 - Atualizado há mais de 3 anos

Um encontro solicitado por um grupo de médicos com o presidente Bolsonaro, em Brasília, acabou ganhando uma dimensão muito maior do que as questões de saúde. Ao abordar o encontro, a apresentadora Maju Coutinho, da Rede Globo, enfatizou que o presidente Bolsonaro não prestou homenagens aos mortos.

A jornalista passou a ser chamada de mentirosa nas redes sociais. Internautas postaram sua fala e em seguida a participação do presidente e de todos os demais que prestaram 1 minuto de silêncio em homenagem às vítimas. No dia seguinte, a apresentadora da Globo abordou o assunto, dizendo que iria fazer um esclarecimento e informou sobre o 1 minuto de silêncio prestado pelos participantes do encontro, incluindo Bolsonaro.

WhatsApp Image 2020-08-31 at 17.04.24 (1)Foto: Brenda Colen / Plox

 

Veja o vídeo:

A nova fala da jornalista da Globo evocou outras críticas: Internautas passaram a dizer que a nova abordagem da Rede Globo não deveria ser feita como um esclarecimento mas sim como reconhecimento de que a emissora carioca errou ao informar um fato que não ocorreu.

Durante a última live do presidente Bolsonaro, a ministra Damares chegou a dizer que a Globo deveria fazer um pedido de perdão à nação por ter mentido.

WhatsApp Image 2020-08-31 at 17.04.24Foto: Brenda Colen / Plox
 

Bolsonaro, na mesma live, fez duras críticas à Rede Globo. O presidente chegou a dizer que a emissora fica buscando “pelo em ovo”,  se referindo às críticas que internautas fazem à emissora que, segundo esses internautas, ficou muito mais preocupada em buscar falhas na atuação do presidente durante o encontro do que mostrar o encontro propriamente dito.

Em conversa com vários médicos do encontro, os mesmos informaram ao Plox que foi uma iniciativa dos próprios médicos buscar junto ao governo uma forma de diminuir as consequências da pandemia de coronavírus. 

Conheça um deles

O médico cardiologista Guili Pech é especialista em arritmias cardíacas e apresenta vasto conhecimento relacionado à saúde. Com formação em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e especialização em Cardiologia e eletrofisiologia, pela mesma instituição, é membro da Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas desde 2016. 

Com atuação nos mais renomados hospitais do Rio de Janeiro, trabalha tanto no setor público quanto privado. No momento, é cardiologista do CTI do Hospital Municipal Lourenço Jorge e, também, médico responsável pelo serviço de arritmias cardíacas  do Hospital Samaritano Botafogo, no Rio de Janeiro. 

Guili está diariamente em contato com casos da COVID-19 e, por isso, tem adquirido experiência no acompanhamento de pacientes em diversas situações, desde sintomas iniciais, até nos cenários mais catastróficos da doença. Nesse sentido, ele é “cirúrgico” em dizer que a doença tem sim tratamento, desde que este seja realizado precocemente, nos primeiros sinais da infecção.
 

Destaques