Alunos de Timóteo desenvolvem sistema que automatiza irrigação de plantios

31/12/2018 06:43

O projeto surgiu durante a participação no Desafio Projetos Integradores 2018, que apresenta problemas reais da indústria para que os competidores desenvolvam soluções inovadoras

Publicidade

Alunos do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) de Timóteo-MG desenvolveram um sistema automatizado de irrigação, que utiliza água da chuva e gera a própria energia para alimentação do sistema. O projeto surgiu durante a participação no Desafio Projetos Integradores 2018, que apresenta problemas reais da indústria para que os competidores desenvolvam soluções inovadoras.

A equipe formada por quatro estudantes precisou criar uma solução para uma empresa de Goiás, que tinha gastos excessivos de água e energia para produzir mudas de reflorestamento. Lucas Quaresma, 18 anos, que é aluno do curso de aprendizagem industrial em manutenção elétrica e um dos integrantes da equipe, explica que ele e os amigos pesquisaram e decidiram utilizar tecnologia para evitar o desperdício de água e tornar todo o processo sustentável.

ALUNOS(Foto: divulgação/ SENAI)

O sistema, que recebeu o nome de Regarless, é movido à energia solar e utiliza a água da chuva para irrigar o plantio. Mas tudo isso só acontece porque uma plataforma manda os comandos para o sistema. “O que controla o sistema é o Arduino, que é o cérebro da operação. Tudo que passa pelo nosso sistema passa por ele. Por exemplo, o sensor de umidade do solo detecta se o solo está seco ou não para ser irrigado. Essa informação vai para o Arduino e o Arduino que libera a passagem da válvula, que libera a água. Tudo é controlado pelo Arduino e ele é um componente eletrônico”, afirma o estudante.

Além de diminuir o consumo de água e energia, a automatização do processo também reduz a mão de obra. “Hoje muitas pessoas têm que ficar verificando o tanque da água, o solo, e tudo isso o nosso sistema faz”, destaca.

O projeto ficou entre os melhores no Desafio e foi selecionado para a etapa nacional do Mostra Inova SENAI 2018. No programa, foi classificado entre os 15 melhores projetos do Brasil, na categoria Processo Inovador.

Para o professor orientador do projeto, Luciano Messias Barros, programas como o Mostra Inova dão a chance de os alunos desenvolverem o empreendedorismo e entrarem em contato com as indústrias. “Eles têm a oportunidade de colocar em prática tudo aquilo que estão aprendendo, que estão desenvolvendo em sala de aula. Isso, para eles, é uma grande experiência, principalmente para alunos que não têm experiência de mercado de trabalho”, afirma.

Programa Mostra Inova 2018

O programa Mostra Inova 2018, do SENAI, classificou 50 projetos para a fase nacional, em duas categorias: Produto Inovador e Processo Inovador. Os classificados demonstraram seus projetos na Olimpíada do Conhecimento, realizada pelo Serviço Social da Indústria (SESI) e SENAI, no mês de julho.

Os 25 projetos classificados na categoria Produto Inovador tiveram consultoria com profissionais especializados, aulas à distância e auxílio financeiro de até cinco mil reais para o desenvolvimento das ideias. Na categoria Processo Inovador, os selecionados contaram com consultoria, participaram de banca virtual, de aulas à distância e auxílio financeiro de até dois mil reais. Ao todo, participaram quatro projetos desenvolvidos por alunos das escolas SENAI de Minas Gerais.



Publicidade