Ipatinga

acontece

X FECHAR
ONDE VOCÊ ESTÁ?

    Tribunal impediu que Estado pagasse auxílio emergencial a 6,5 mil 'mortos'

    Além disso, mais de 47 mil pessoas com emprego e outras 22 mil com renda superior estavam no cadastro

    Por Plox

    02/11/2021 13h05 - Atualizado há cerca de 1 mês

    O nome e as informações de 6,5 mil pessoas falecidas estavam no cadastro ativo para receberem o auxílio emergencial mineiro, chamado de Força Família e criado pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais. Outras 47 mil tinham emprego, mas tal situação não estava registrada nos dados oficiais, permitindo-as que recebessem o benefício, pago pelo Estado no último mês. 

    Os dados fazem parte de uma auditoria realizada pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-MG) antes do Governo de Minas iniciar o pagamento dos R$ 600 em parcela única. 

    Tribunal de Contas do Estado impediu pagamentos que seriam irregulares Foto Foto: TCE / DivulgaçTribunal de Contas do Estado impediu pagamentos que seriam irregulares Foto Foto: TCE / Divulgaçãoão
    Tribunal de Contas do Estado impediu pagamentos que seriam irregularesFoto: TCE / Divulgação

     

    O Força Família foi destinado a famílias com renda per capta inferior a R$ 89. Conforme o relatório do TCE, 22,9 mil famílias cadastradas e que receberiam o auxílio tinham renda superior ao limite.

    Foi feito um amplo cruzamento de dados que constatou, antes do pagamento, os inscritos de forma irregular. Como a ação foi preventiva, o Tribunal estima que impediu que o Estado gastasse R$ 18 milhões com a suspensão do pagamento aos 'mortos' e àqueles com renda per capta superior à estimada. Não é possível contabilizar, conforme a auditoria, o valor poupado com o não pagamento a quem já tem emprego. 

    Fonte: https://www.otempo.com.br/opiniao/em-tempo/tribunal-impediu-que-estado-pagasse-auxilio-emergencial-a-6-5-mil-mortos-1.2563781
    PLOX BRASIL © Copyright 2008 - 2021[email protected]