Ipatinga

tecnologia

X FECHAR
ONDE VOCÊ ESTÁ?

    Instagram sabe que faz mal, mas só quer saber dos lucros, denuncia ex-funcionária

    Em sua fala nesta terça-feira (5), a engenheira em computação clareou um temido tema: o impacto negativo que o Instagram tem sobre os adolescentes

    Por Plox

    05/10/2021 22h22 - Atualizado há 15 dias

    Uma coisa que uniu republicanos e democratas foram as denúncias feitas por Frances Haugen, na audiência do congresso americano. Ela é ex-gerente do Facebook e tem dado declarações consideradas assustadores sobre a empresa.

    Em sua fala nesta terça-feira (5), a engenheira em computação clareou um temido tema: o impacto negativo que o Instagram tem sobre os adolescentes. Ela disse que a plataforma, de propriedade do Facebook, sabia sobre seus efeitos danosos sobre os usuários jovens.

    Um dos documentos mais importantes da Haugen é um estudo realizado pelos próprios pesquisadores do Facebook, que encontrou evidências dos efeitos nocivos das mídias sociais.

    Denunica facebook
    Foto: reprodução TV


    No referido estudo entre adolescentes dos últimos três anos, o Instagram demonstrou ter um efeito prejudicial sobre a saúde mental e a imagem corporal, especialmente para as meninas. O relatório afirma que as adolescentes que já viviam esses sentimentos ruins de imagem corporal tiveram esses sentimentos  exacerbados pelo Instagram.

    Durante seu testemunho, Haugen disse que os adolescentes da Instagram se comparam constantemente a relatos sofisticados onde as pessoas usam cabelo e maquiagem profissionais. Muitas das postagens também usam filtros para fotografia para melhorar a aparência das fotos, para representar um certo padrão que não exite.

    - Veja também: Facebook explica o que causou a queda que tirou redes sociais do ar

    Embora o estudo tenha constatado que os participantes "se sentiram pior" após ver tais posts, as meninas se sentiram propelidas a continuar seguindo esses perfis, disse a ex-executiva do Facebook.

    Senador fez instragram falso e investigou

    O Facebook contestou as conclusões do estudo. Antigone Davis, diretora global de segurança da empresa, disse em uma audiência do Congresso na quinta-feira passada que os documentos não eram "uma bomba" sendo criticada por este comentário.

    Especialmente depois que o escritório do senador Richard Blumenthal, um democrata, divulgou uma declaração de que teria conduzido sua própria pesquisa sobre adolescentes e o Instagram antes dessa audiência.

    O senador de Connecticut Richard Blumenthal, durante uma recente audiência no Senado, revelou que ele criou um relato falso e fingiu ser uma menina de 13 anos. Ele seguiu alguns "relatos facilmente encontrados associados a dietas extremas e distúrbios alimentares", disse Blumenthal.

    Conforme o senador americano, o Instagram recomendou relatos que promovessem a automutilação e distúrbios alimentares. "Esta é a tempestade perfeita que o Instagram criou", disse ele.

    “Eu tenho que ser magro” e “eternamente faminto” foram os nomes de algumas contas que o Instagram apresentou para a conta adolescente falsa de Blumenthal, disse ele. Todos promoviam dietas extremas.

    Segundo o Instagram, essas contas violaram suas regras e não deveriam ser permitidas na plataforma.

    Falência moral do Facebook

    Frances Haugen solicitou ao Congresso que tomasse medidas para evitar danos causados por empresas de mídia social e que o Facebook "declarasse falência moral".

    Haugen testemunhou que a falta de pessoal era um dos problemas e que os programas de inteligência artificial só capturam uma "minoria muito pequena" de conteúdo ofensivo.

    Sérios danos às crianças e adolescentes

    De acordo com a denunciante, o Facebook sabe que as crianças acreditam que estão lutando contra questões como imagem corporal e intimidação sozinhas porque seus pais não podem orientá-los. Ela enfatizou que as escolas e os Institutos Nacionais de Saúde devem fornecer informações estabelecidas onde os pais podem aprender como apoiar melhor seus filhos.

    A senadora Amy Klobuchar, uma democrata de Minnesota, perguntou à Haugen se a empresa estava usando seu algoritmo para disseminar “conteúdos ultrajantes".e promover distúrbios alimentares para meninas. Ela disse que o Facebook “sabe que está levando os jovens usuários" a conteúdos relacionados a transtornos alimentares.

    Haugen disse que tem “fortes preocupações com a segurança nacional”, devido à forma como o Facebook atua com seus usuários.O senador democrata Richard Blumenthal, que dirige o subcomitê de comércio para a proteção ao consumidor do Senado, sugeriu que estas preocupações de segurança poderiam ser um tópico para uma audiência futura do subcomitê.

    Curtidas

    Frances Haugen declara que, na opinião dela, remover curtidas não é suficiente para resolver problemas de saúde mental de adolescentes no Instagram.

    O Facebook, no início deste ano, deu aos usuários de sua rede e do Instagram a opção de ocultar contagens de curtidas públicas em suas postagens. Isso seria  uma tentativa de reduzir a pressão que os usuários sentem para ganhar popularidade. Mas Haugen disse que isso não é suficiente para resolver os problemas de saúde mental dos adolescentes nas plataformas.

    Haugen disse que, com base na pesquisa interna que ela viu, “desde que comentários sejam permitidos em postagens no Instagram, apenas tirar curtidas do Instagram não corrige o problema de comparação social”.

    Ainda segundo a denunciante, as adolescentes são inteligentes, elas veem que outra garota é mais bonita do que elas, suas fotos são realmente boas, a outra recebe muitos comentários, e que suas fotos e postagens não recebem muitos comentários”, disse ela. “Portanto, acho que precisamos de intervenções maiores do que apenas remover medidas quantitativas”, declarou.

    PLOX BRASIL © Copyright 2008 - 2021[email protected]