Ex-enfermeiro alemão assume 85 mortes em hospital e é condenado à prisão perpétua

06/06/2019 12:29

Para presidente do tribunal, crimes "desafiam a razão e todos os limites conhecidos"

Publicidade

Um ex-enfermeiro foi condenado à prisão perpétua por ter matado 85 pacientes na Alemanha. A sentença foi dada nessa quinta-feira, 5 de junho. Niels Högel, 42 anos, aplicava injeção com altíssimas doses de remédios em suas vítimas nos hospitais em que atuava, por cinco anos. O primeiro crime foi registrado em 2000.

Ex-enfermeiro

Niels Högel aplicava injeção com altíssimas doses de remédios em suas vítimas- Foto: Reprodução


Os crimes "desafiam a razão e todos os limites conhecidos", conforme disse o presidente do tribunal, Sebastian Buhrmann. Os pacientes eram escolhidos aleatoriamente e tinham idades entre 34 e 96 anos. O réu informou no julgamento que os atos eram o único jeito de ele “integrar-se à equipe”, pois queria se sobressair em seu trabalho, tentando reanimar os pacientes. Psiquiatras disseram que Niels tem narcisismo e pode sempre mentir “se isso permitir que se destaque”. Colegas e superiores do ex-enfermeiro disseram que não se recordavam ou não desconfiaram dos atos de Niels, o que fez com que 10 dessas pessoas fossem acusadas pelo juiz de falso testemunho e também de perjúrio.


Existe a suspeita de que Niels Högel possa ter assassinado 200 pessoas, mas como as vítimas foram cremadas, a polícia não conseguirá esclarecer o fato. Às famílias dos pacientes, Niels se desculpou: "Quero sinceramente pedir desculpas a todos pelo mal que causei durante todos esses anos". 

Caso semelhante na França

A polícia começou em maio uma investigação contra um anestesista suspeito de intoxicação a vários pacientes na França. A acusação é de que ele envenenava suas vítimas para que mostrasse sua capacidade como médico em atendimentos emergenciais. O resultado das manifestações de ‘habilidade’ resultou em nove mortes. Frédéric Péchier, de 47 anos, teria falsificado os invólucros para indução de anestesia no momento em que os pacientes passavam por cirurgias.

O volume das acusações contra Frédéric só cresce, pois anteriormente, havia a acusação de que ele teria intoxicado sete pessoas, o levando à prisão em 2017. Porém, o anestesista pode ter sido o responsável por outros 17 envenenamentos, em pessoas com idades entre 4 e 80 anos. Caso seja condenado pelos crimes, Frédéric pode pegar prisão perpétua.

>>> Leia mais: Anestesista é acusado de envenenamento, levando nove pacientes à morte

 

Atualizada às 13h36



Publicidade