Ipatinga

acontece

X FECHAR
ONDE VOCÊ ESTÁ?

    Caminhoneiros fazem paralisação nas rodovias que cortam o Vale do Aço

    Decisão durará pelo menos até sexta (10); categoria pede ajuda da população; Polícia Militar reforça efetivo

    Por Plox

    07/09/2021 16h20 - Atualizado há 21 dias

    Por conta das manifestações pró-Bolsonaro, vários caminhoneiros decidiram paralisar às margens das rodovias BR's 381 e 458 que cortam o Vale do Aço. A ação ocorrerá pelo menos até sexta-feira (10), segundo os organizadores.

    Durante as 72h, terão acesso apenas veículos pequenos e ônibus. Se não forem atendidas em Brasília as reivindicações depois deste prazo, o trânsito só será permitido a viaturas de emergência (bombeiros, ambulâncias, viaturas policiais e caminhões de transporte de oxigênio medicinal e medicamentos). Dentro das cidades, haverá o fluxo normal de veículos.

    Caminhões já estão parados às margens da BR-381, no bairro Horto, em Ipatinga. Foto: Marcelo/PLOX

     

    A pista do trecho da BR-381, no sentido de Belo Horizonte, foi fechada para o evento nas proximidades da Caixa Econômica Federal. Os veículos que seguirem no sentido à Belo Horizonte, serão desviados próximo ao Posto Central para percorrerem um trajeto sinalizado pelas ruas do Bairro Horto. Nas proximidades da InterTV dos Vales, os motoristas retomarão à BR-381.

    DOAÇÃO
    Os organizadores solicitam que os manifestantes levem para o local da concentração, alimentos não perecíveis, que serão recolhidos pela Capelania do Vale do Aço e distribuídos entre os caminhoneiros para seu sustento durante o protesto. Além disso, será dado o suporte de água e banheiros para os caminhoneiros durante todo período que durar a paralisação.

    DEMAIS EVENTOS
    Segundo o jornalista Joel Souto, um dos coordenadores da manifestação, vários ônibus partiram de Ipatinga nesse domingo (6) com patriotas de toda a região para Brasília, onde ocorreu um ato antecipado à favor do presidente. Ainda segundo Joel, “no Vale do Aço, estão sendo iniciadas 24h de vigílias nas igrejas cristãs, jejuns coletivos e orações pela Pátria”.

    Atos pró-Bolsonaro foram antecipados no Distrito Federal, nessa segunda (6). Foto: reprodução

     

    EFETIVO MILITAR REFORÇADO

    Em Ipatinga, todo o efetivo operacional e administrativo foi redirecionado para as ruas neste feriado. O trabalho relacionado à segurança nas manifestações começou às 6h da manhã, sem previsão de término.  

    “A recomendação é intensificar o patrulhamento nas localidades dos prédios públicos, seja poder legislativo, executivo ou judiciário, então, o policiamento vai está distribuído em toda cidade monitorando esse eventos, essas manifestações, garantindo o direito da população de se manifestar, contudo evitando atos de vandalismo e depredações”, explicou o capitão Castro, chefe da Seção de Comunicação Organização da 12º Região.

    Apoiadores de várias cidades da região se concentram no bairro Horto, em Ipatinga. Foto: Marcelo/PLOX

     

    Além disso, a Polícia orienta a população para que não leve garrafas ou objetos cortantes que podem, num eventual tumulto, serem utilizados como armas. “A polícia vai também estar observando o porte desses objetos, justamente, para evitar que essas pessoas se aglomerem com objetos que possam ferir outras pessoas”, pontuou.

    A cidade também possui o policiamento de choque, que poderá ser acionado em caso de tumulto de proporções maiores para fazer uma intervenção mais drástica. O capitão também pede que nesses casos as pessoas se afastem e obedeçam as ordens dos policiais. 

    Já em Coronel Fabriciano e Timóteo, segundo o comandante do 58º Batalhão de Polícia Militar, tenente-coronel Luiz Carlos Ribeiro Magalhães, “o efetivo normal do dia foi acrescido dos militares da administração e distribuído com adequação de horários para acompanhar as manifestações durante todo o dia”. Ele ainda destacou que até o momento não foram registrados incidentes nessas duas cidades. 

    A Polícia Militar pede que a população não desobedeça às regras de prevenção ao contágio da Covid-19, devendo ir para as ruas de máscara e levar álcool em gel.

    ENTENDA

    Nesta terça-feira (7), feriado do Dia da Independência do Brasil, apoiadores do presidente Jair Bolsonaro participam de manifestações em várias cidades do Brasil. Um dos principais motivos está ligado aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) que estariam agindo pelos próprios interesses.

    Manifestantes pró-Bolsonaro se concentraram na Praça da Liberdade, em Belo Horizonte. Foto: reprodução/TV Globo

     

    Concentração à favor do governo na avenida Paulista, em São Paulo. Foto: reprodução/Globo News

     

    Os atos pró-Bolsonaro também são contra as prisões provocadas pelo STF, principalmente, de críticos; à impunidade; a anulação das penas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT); a favor do voto impresso auditável, que foi palco de protestos em todo o país no dia 1º de agosto deste ano e etc.

    Nessa segunda (6), os atos foram antecipados em Brasília e marcados por invasão dos manifestantes na Esplanada dos Ministérios. Imagens que circulam nas redes sociais também mostram um policial militar sacando uma arma como forma de pedir o afastamento das pessoas, porém, a ação foi interrompida pelos próprios apoiadores que fizeram um cerco para impedir os “mais alterados”. 

    Em Belo Horizonte, manifestantes contra Bolsonaro se concentraram na  Praça da Estação. Foto: reprodução/TV Globo

     

    Manifestação contra o governo na Avenida Presidente Vargas, no Centro do Rio de Janeiro. Foto: reprodução/TV Globo

     

    Em contrapartida, protestos contra o presidente também são esperados. Os argumentos giram em torno do preço alto da gasolina; privatizações de estatais como Petrobras, Eletrobras e os Correios; contra a PEC 32 da Reforma Administrativa; a favor da ampliação da vacinação no país; em defesa da democracia, fazendo críticas à “guerra com o STF”, entre outros. 

    PLOX BRASIL © Copyright 2008 - 2021[email protected]