Ipatinga

acontece

X FECHAR
ONDE VOCÊ ESTÁ?

    Pais de alunos instalam mensagens em painéis pedindo reabertura das escolas

    Prefeitura rebateu informando nove motivos pelos quais as escolas devem permanecer de portas fechadas

    Por Plox

    08/12/2020 09h48 - Atualizado há mais de 1 ano

    Em protesto devido à falta de aulas presenciais nas escolas de Belo Horizonte, um grupo de pais e mães de alunos instalou uma mensagem em outdoors da cidade sobre o tema. O intuito é questionar publicamente a prefeitura sobre por quais motivos as escolas seguem fechadas desde março. As mensagens foram instaladas nesta segunda-feira (7).

    Os três outdoors e um painel de LED encontram-se em quatro pontos bastante movimentados da cidade. Cada um deles exibe a frase “Por que nossas crianças não são prioridade para a prefeitura? A escola deve ser a primeira a abrir e a última a fechar”.

    Movimento de pais e mães reclama que já tentou conversar com Executivo municipal por diversas vezes
    Movimento de pais e mães reclama que já tentou conversar com Executivo municipal por diversas vezesFoto: Ramon Bitencourt - O Tempo

    Parte do grupo de pais e mães de alunos é formado por familiares que entraram na Justiça contra a decisão da prefeitura em manter as escolas fechadas. A ação foi protocolada no mês passado e ainda aguarda avaliação do Ministério Público, bem como posterior definição do Tribunal de Justiça de Minas Gerais. Educadores e pais de alunos que estudam em escolas públicas também integram o coletivo, segundo os organizadores.

    Por meio de nota, o grupo informou que tentou se reunir com a prefeitura por diversas vezes, sem sucesso. Eles pedem que o Comitê Municipal de Enfrentamento à Covid-19 tenha entre seus membros um pediatra ou psiquiatra. Algumas das famílias reclamam que ficar tanto tempo em casa tem causado problemas na saúde mental de seus filhos. “Queremos que o comitê tome a decisão de abrir as escolas, no máximo, em 1º de fevereiro”, diz o comunicado.

    No texto, os pais defendem que “estudos do mundo inteiro já mostram que a transmissão dentro do ambiente escolar é inferior à diversos outros setores que já estão abertos”. Nenhum desses estudos, no entanto, é citado na nota divulgada pelo movimento.

    No sábado (5), a Sociedade Mineira de Pediatria (SMP) emitiu uma nota de posicionamento sobre o retorno à aulas presenciais em Minas Gerais em meio à pandemia de Covid-19. O documento destaca o prejuízo educacional e psicológico que a suspensão das atividades presenciais ocasiona em crianças e adolescentes, mas lembra que o retorno às aulas depende da situação epidemiológica do Estado e dos municípios e que, assim, não é factível agendar uma data de retorno, já que os números da pandemia são dinâmicos.

    A prefeitura encaminhou à reportagem uma lista com os motivos pelos quais as escolas da capital permanecem de portas fechadas, que seguem:

    1) O ambiente escolar é composto, em sua maioria, por crianças e jovens. Por suas características imunológicas, ao contraírem a Covid-19, tendem a não manifestar sintomas ou manifestá-los em formas leves. Eles continuam sendo, no entanto, vetores de transmissão, podendo acelerar a circulação da pandemia.

    2) É necessário aprofundar estudos e discussões para que as aulas escolares presenciais sejam retomadas com segurança para alunos e professores.

    3) O município vem fazendo, de forma criteriosa, cuidadosa e paulatina, a liberação das atividades econômicas mediante o acompanhamento diário de indicadores epidemiológicos e assistenciais.

    4) O impacto do setor escolar na circulação de pessoas vai afetar de forma substancial o isolamento social.

    5) A obrigatoriedade da presença dos estudantes nas escolas e o número de horas semanais que alunos e professores terão irão resultar em baixo distanciamento social.

    6) O envolvimento dos idosos, população de risco da Covid-19, na rotina escolar dos netos.

    7) A necessidade de assegurar a saúde de professores e demais profissionais das escolas que estarão expostos a um grande número de alunos em locais com restrições ao distanciamento social como as salas de aula.

    8) Diferentemente do ambiente escolar, a frequência dos clientes e dos usuários das atividades atualmente liberadas (como bares e restaurantes) são discricionárias e eventuais, não implicando em contato intenso e prolongado entre as pessoas.

    9) A Nota Técnica 002 do comitê de Enfretamento à Covid orienta que o retorno seguro ao ambiente escolar seja feito quando a taxa de incidência for de 20 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias. Atualmente, essa taxa é de 98,5 casos por 100 mil habitantes.

    Fonte: https://www.otempo.com.br/cidades/pais-de-alunos-instalam-mensagens-em-paineis-pedindo-reabertura-das-escolas-1.2422318
    PLOX BRASIL © Copyright 2008 - 2022[email protected]