Ministro informa que fronteiras da Venezuela com o Brasil serão abertas

10/05/2019 17:26

Em fevereiro, o presidente Nicolás Maduro impediu a entrada de ajuda humanitária no país

Publicidade

As fronteiras da Venezuela com o Brasil estão fechadas desde fevereiro deste ano, quando o presidente Nicolás Maduro impediu a entrada de ajuda humanitária no país. Mas, de acordo com o que informou Tareck El Aissami, ministro da Economia, nesta sexta-feira, 10 de maio, o país abrirá a delimitação de seu território com o Brasil e também com Aruba, no Caribe.

Venezuela fronteira- Foto: Agência Brasil/Reuters/Ricardo Moraes

Foto: Agência Brasil/Reuters/Ricardo Moraes

O venezuelano afirmou, em discurso para uma rede de televisão local, que a intenção é fazer com que a região seja uma fronteira de paz entre as nações vizinhas. O posicionamento dos países de não interferir em assuntos da alçada da Venezuela foi o que motivou à liberação fronteiriça. "Recebemos garantias de que nossa soberania será respeitada e que não haverá interferência em questões que devem ser tratadas pelos venezuelanos", afirmou.

A informação era de que o tráfego de veículos entre Pacaraima, em Roraima, seria restabelecido. Porém, o Núcleo de Policiamento e Fiscalização da Superintendência da Polícia Rodoviária Federal, informou que o trânsito de veículos continuava retido. A superintendência afirmou ainda, que até o momento, não recebeu nenhum comunicado oficial.

Colômbia

As relações de diplomacia com a Colômbia estão abaladas, pois Maduro dizia que o país deu permissão para que a Venezuela fosse alvo de ataques vindos daquele território. As fronteiras continuam fechadas desde o mesmo período, no entanto, El Aissami não comentou a possibilidade de liberação.

Colapso

A Venezuela entrou em um colapso intensificado no começo deste ano, quando o presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, Juan Guaidó, convocou manifestações contra Nicolás Maduro. Guaidó se autoproclamou presidente interino do país, em 23 de janeiro. Ele foi apoiado por 40 países que o reconheceram como interino do país, inclusive o Brasil e os Estados Unidos.

Atualizada às 20h23



Publicidade