Ipatinga

política

X FECHAR
ONDE VOCÊ ESTÁ?

    Nem Lula nem Bolsonaro: quais são os nomes da terceira via para 2022

    Partidos testam nomes de Doria, Leite, Ciro, Pacheco, Mandetta, Tebet, Moro, Datena e Vieira como saída à polarização

    Por Plox

    11/09/2021 11h27 - Atualizado há 4 dias

    A volta do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ao tabuleiro político brasileiro trouxe a polarização novamente ao cenário de 2022. No entanto, pesquisas de intenção de voto mostram que cerca de 15% da população não quer nem o petista nem o atual chefe do Executivo, Jair Bolsonaro (sem partido)

    Fotos REUTERS/Montagem R7

    Institutos de pesquisas apontam que Lula e Bolsonaro devem se enfrentar no segundo turno ao comando do Palácio do Planalto, mas os índices de rejeição contra os candidatos são altos: 37% e 59%, respectivamente. Diante desse cenário, que gera espaço para a terceira via, diversos partidos têm se articulado para alavancar seus nomes com o objetivo de representar um rosto em meio a polarização

    Institutosde pesquisas apontam que Lula e Bolsonaro devem se enfrentar no segundo turno ao comando do Palácio do Planalto,mas os índices de rejeição contra os candidatos são altos: 37% e 59%,respectivamente. Diante desse cenário, que gera espaço para a terceira via, diversospartidos têm se articulado para alavancar seus nomes com o objetivo derepresentar um rosto em meio a polarização
    Marcelo Camargo/Agência Brasil

    O voto dos “nem-nem” se divide, segundo pesquisas eleitorais, entre João Doria e Eduardo Leite, ambos do PSDB, Ciro Gomes (PDT), Simone Tebet (MDB), Rodrigo Pacheco e Luiz Henrique Mandetta, ambos do DEM, além de José Luiz Datena (PSL) e Sergio Moro. Os aventados da terceira via angariam cerca de 15% a 17% das intenções de voto em pesquisas, entretanto, ainda patinam. O senador Alessandro Vieira anunciou sua pretensão à disputa pelo Cidadania nesta sexta-feira (10), e seu nome, portanto, ainda não foi testado nas pesquisas de opinião

    O voto dos “nem-nem” se divide,segundo pesquisas eleitorais, entre João Doria e Eduardo Leite, ambos do PSDB,Ciro Gomes (PDT), Simone Tebet (MDB), Rodrigo Pacheco e Luiz Henrique Mandetta,ambos do DEM, além de José Luiz Datena (PSL) e Sergio Moro. Os aventados daterceira via angariam cerca de 15% a 17% das intenções de voto em pesquisas, entretanto, ainda patinam. O senador Alessandro Vieira anunciou sua pretensão à disputa pelo Cidadania nesta sexta-feira (10), e seu nome, portanto, ainda não foi testado nas pesquisas de opinião
    Reprodução

     

    Rival de Bolsonaro e governador de São Paulo, João Doria é o nome favorito dentro do PSDB, impulsionado pelo início da vacinação da população brasileira contra covid-19. O partido realizará as prévias para definir o candidato à presidência em novembro. Ele conta com o apoio, recém-divulgado, da bancada estadual paulista na eleição interna. As prévias do PSDB serão realizadas da seguinte forma: quatro grupos de votantes, todos com peso unitário de 25% do total de votos válidos.  Deputados estaduais representam 50% do peso total do grupo, o que favorece o governador na disputa

    Governo do Estado de São PauloSeguirCerimônia em Homenagem aos Atletas Olímpicos do Estado de São PauloO Governador do Estado de São Paulo João Doria Cerimônia em Homenagem aos Atletas Olímpicos do Estado de São Paulo. Dia: 30/08/2021 Local: São Paulo/SP Foto: Governo do Estado de São Paulo
    Governo do Estado de São Paulo - 30.08.2021

    Rival de Doria nas prévias, Eduardo Leite, governador do Rio Grande do Sul, tem ganhado simpatia dentro da legenda. O gaúcho também adota postura crítica ao governo federal e tem procurado nomes do partido em outros Estados, com o objetivo de consolidar os votos mais fortes nas prévias. Leite se tornou o primeiro governador e presidenciável a declarar sua homossexualidade. “Eu sou gay. E sou um governador gay, e não um gay governador, tanto quanto Obama nos Estados Unidos não foi um negro presidente, foi um presidente negro. E tenho orgulho disso”, afirmou num programa de TV

    Foto: Alina Souza / CP Memória

    No campo da esquerda, Ciro Gomes se coloca como pré-candidato do PDT à presidência em 2022. O ex-governador faz duras críticas ao ex-presidente Lula e outros nomes petistas e descarta, no momento, uma aliança com a sigla. O pedetista tem se encontrado com lideranças progressistas a fim de uma aliança

    Nacho Doce/Reuters - 20.9.2018

     

    A senadora Simone Tebet (MDB-MS) é cotada como candidata à presidência por seu partido ou numa composição de chapa. Foi candidata à presidência do Senado duas vezes – perdeu para Davi Alcolumbre e Rodrigo Pacheco. No entanto, começou a ter maior visibilidade a partir da CPI da Covid. A senadora articulou um acordo com o presidente da comissão, Omar Aziz (PSD-AM), para que as mulheres pudessem fazer perguntas aos depoentes da CPI, apesar de não terem cadeiras formais no grupo. Tebet organizou, ainda, uma bancada feminina e conseguiu o cargo de liderança para as mulheres na Casa

     Em pronunciamento, à bancada, senadora Simone Tebet (MDB-MS). Foto: Pedro França/Agência Senado
    Pedro França/Agência Senado - 09.07.2021

    Atual presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco é cogitado como um dos candidatos à presidência da República. De perfil moderado, tem ganhado destaque em meio as crises do Executivo com o Judiciário. Pacheco, do DEM-MG, é o candidato dos sonhos de Gilberto Kassab, do PSD, que, inclusive, trabalha para que ele mude para o seu partido. Kassab, inclusive, tem se aproximado de Lula e afastado de Bolsonaro, apesar de a sigla ser considerada da base no Congresso. Há, inclusive, conversas para Pacheco ser vice de Lula numa chapa

    Senado FederalSeguirPresidência do SenadoPresidente do Senado Federal, senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG), conversa com a imprensa sobre a reunião com o presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). O tema do encontro foi o pagamento de precatórios. Para Pacheco, a quitação de precatórios precisa ser amadurecida entre os Poderes da República. O presidente do Senado fala ainda sobre a análise de medidas provisórias, a relação com a Câmara dos Deputados e a segurança do Congresso no feriado de 7 de setembro. Foto: Marcos Brandão/Senado Federal
    Marcos Brandão/Senado Federal - 31.08.2021

    Luiz Henrique Mandetta, ex-ministro da Saúde do governo Bolsonaro, tem se colocado como um dos pré-candidatos e conversa com diversos partidos em busca de uma aliança. Seu nome, contudo, não tem forte desempenho nas pesquisas eleitorais. O político defende a união dos candidatos da terceira via, uma vez que a polarização entre Lula e Bolsonaro deve se acirrar ainda mais, haja vista dos 12 meses para as eleições de 2022

    Senado FederalSeguirCPIPANDEMIA - Comissão Parlamentar de Inquérito da PandemiaComissão Parlamentar de Inquérito da Pandemia (CPIPANDEMIA) realiza oitiva do ex-ministro de Estado da Saúde. A Comissão Parlamentar de Inquérito investiga ações do governo federal no enfrentamento da pandemia e aplicação de recursos da União transferidos para estados, Distrito Federal e municípios para essa finalidade. A reunião acontece no formato semipresencial por decisão do presidente do Senado Federal. Em pronunciamento, à mesa, ex-ministro de Estado da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado
    Edilson Rodrigues/Agência Senado - 04.05.2021

    De olho em 2022, o apresentador José Luiz Datena se filiou recentemente ao PSL. A legenda estuda lança-lo como candidato à presidência em 2022, quando o país escolherá também governadores, senadores e deputados federais. Seu partido, o PSL, deve anunciar no próximo dia 21 a fusão com o DEM. A aliança entre as duas siglas, que se encontra em fase final, pode resultar no maior partido do país, com mais de 80 cadeiras na Câmara dos Deputados. Com isso o eventual candidato terá mais recursos financeiros e mais tempo de TV nas eleições

    Instagram

    O ex-juiz e ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro também é um dos cotados na terceira via. O Podemos articula sua possível candidatura, que ganhou força após a derrubada da exigência de quarentena de cinco anos para juízes e promotores pela Câmara dos Deputados. A sigla estuda uma aliança entre Moro e Álvaro Dias, senador pelo Paraná, ou num acordo com outro partido do campo do centro

    O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, fala à imprensa
Publicado em 24/04/2020 03:51
 Foto: Marcello Casal JrAgência Brasil
 Local: Brasília-DF
    Marcello Casal JrAgência Brasil - 24.04.2020

    O senador Alessandro Vieira é o pré-candidato do Cidadania à presidência da República. Em seu primeiro mandato, ganhou projeção com sua participação na CPI da Covid – ele atuava antes como delegado e, por isso, sabe conduzir questionário contra depoentes. Vieira acredita ser o nome da terceira via e que a decisão de sua candidatura não é expressão de um desejo particular ou sonho pessoal. "Não sou representado pela permanência de Bolsonaro no poder ou pelo retorno de Lula. Sei que milhões de brasileiros têm o mesmo sentimento", disse

    Senado FederalSeguirCPIPANDEMIA - EntrevistaComissão Parlamentar de Inquérito da Pandemia (CPIPANDEMIA) realiza oitiva da diretora-executiva da VTCLog, empresa contratada pelo Ministério da Saúde para armazenar e distribuir medicamentos, entre eles, vacinas. Senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) concede entrevista. Foto: Pedro França/Agência Senado
    Pedro França/Agência Senado - 31.08.2021

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

    Fonte: https://noticias.r7.com/prisma/r7-planalto/fotos/nem-lula-nem-bolsonaro-quais-sao-os-nomes-da-terceira-via-para-2022-11092021
    PLOX BRASIL © Copyright 2008 - 2021[email protected]