Dieta do sexo: musa fitness mineira diz que emagreceu transando 5h por dia

Especialistas criticam a prática, afirmam que atividade física em excesso pode causar males ao corpo e que banalização da atividade sexual provoca perdas emocionais

Por Plox

15/10/2020 18h52 - Atualizado há cerca de 2 meses

Grasi Mattos, de 24 anos, é mineira, nascida em Conselheiro Pena, na região do Rio Doce, cruzeirense, “musa fitness” e influenciadora no Instagram – rede na qual acumula quase 90 mil seguidores. Para manter o corpo em forma, há uma rotina diária de musculação e dieta regrada, com frutas cítricas pela manhã e, no almoço, carboidratos, em especial o macarrão. Nas noites de Lisboa, onde vive atualmente, a jovem bebe ainda duas taças de vinho para completar o cardápio. 

Contudo, ela jura de pé junto que o corpo malhado – e os 5 Kg perdidos nos últimos dois meses – são fruto de outra prática: cinco horas de sexo por dia, durante seis dias da semana. A única folga, revela, ocorre aos domingos, quando, quase biblicamente, descansa do cotidiano ativo.

 

Foto: Grasi Mattos/Divulgação

(VEJA ABAIXO O QUE DIZEM ESPECIALISTAS SOBRE A DIETA E OS RISCOS DELA; CONTRAINDICAÇÃO É GERAL)

“Então, perdemos muita caloria fazendo sexo! Sexo é uma coisa normal, tem gente que abomina muito, mas, além de fazer muito bem para a saúde, tem como queimar calorias. Resolvi juntar prazer, alívio à ansiedade, diminuição no mau humor, e exercício físico”, conta Grasi, em entrevista a O TEMPO. “Quer perder peso? Faça sexo!”, aconselha.

Em um texto de divulgação da “dieta do sexo”, que Grasi vem mantendo há três meses, – cujo título é “Musa fitness troca anabolizantes pela dieta do sexo para manter a forma e comemora resultado positivo na internet”– a assessoria de imprensa dela informa que Grasi se dedica entre três e quatro horas por dia à atividade sexual. 

A meta, conforme a nota, é perder “8 mil calorias”. Apesar disso, a jovem garantiu que o patamar é de cinco horas diárias – nas quais trata a atividade sexual como um regrado exercício, que ocorre apesar do prazer.

A dieta, explica a mulher, não surgiu do vácuo – um nutrólogo, médico especialista em nutrologia, diz ela, a ajudou a regular os exercícios sexuais, o cardápio e as atividades físicas na academia. “Segundo ele, regula meu humor, libera hormônios sexuais, e funciona como uma verdadeira terapia”, garante.

Questionada se a rotina pesada de sexo não gera cansaço, Grasi nega. “Não precisa ser quatro ou cinco horas direto, direto, sabe? Às faço, sim, mas (normalmente) dou uma paradinha, descanso, bebo água. Faço quando acordo, às vezes a tarde. Divido (a prática) no meu tempo. É sempre certo, porém, o período: “tenho que cumprir esse horário de cinco horas”, diz. 

SEM ANABOLIZANTES, COM SEXO

Há seis dias, Grasi publicou em seu perfil do Instagram que está “livre dos anabolizantes”, em foto que segura um laudo médico na mão esquerda e faz, com a direita, um símbolo de negativo. A “dieta do sexo”, conta, veio após o arrependimento.

“Eu quis ser transparente com vocês e comprovar que estou livre dos anabolizantes, porque é repugnante ver outras musas fitness indicando essa substância, ou que usam, mas pregam uma vida saudável. Confesso que a gente busca um corpo ideal, super malhado, através de algumas facilidades, mas isso não é bom. Me arrependo de ter usado porque tive vários efeitos colaterais, muita insônia, alteração de humor, meu cabelo caiu muito, tive muitas espinhas entre outros. Não é bom. Não sou a favor, porque é possível alcançar as metas esportivas e estéticas sem comprometer a saúde física e mental de nós mesmos. Tenha paciência e busquem pelos seus objetivos de forma natural, dieta, academia e acompanhamento de profissionais e garanto que o final é compensador”, diz o texto.

DIETAS PASSADAS

Antes de ser figurinha carimbada no Instagram, Grasi representou Minas Gerais no “Miss Bumbum 2017”, quando somava 92 cm de circunferência do quadril. Na época, a dieta revelada era outra, sem sexo, mas com anabolizantes. 

“Puxo muito ferro na academia e sigo uma dieta rica em proteínas”, contou a O TEMPO. “Deixo um dia da semana pra comer um bom arroz carreteiro. Me lembra minha terra”, revelou.

Questionada sobre a diferença entre as duas dietas, ela ponderou que não sabe colocar na balança o que funciona melhor, devido ao uso de anabolizantes à época. 

SEXO COMO ATIVIDADE AERÓBICA

Não há nada na literatura científica que relacione especificamente a perda de peso com horas e horas de atividade sexual intensa, garante o professor do Departamento de Nutrição Esportiva da Escola de Enfermagem da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Rafael Longhi. Contudo, pode-se considerar o sexo como uma atividade aeróbica, que implica em gasto calórico.

“Pode-se fazer uma analogia, o que a influenciadora faz é mimetizar um exercício aeróbico. O sexo é a ferramenta dela, mas não pode ser apenas isso. Poderia ser qualquer outra atividade, ir para academia, pedalar, nadar. Mas também é preciso fazer acompanhamento com nutricionista, ajeitar a dieta”, explica. 

Além disso, frisa Longhi, longas sessões de atividades físicas não são benéficas à saúde. O ideal é manter entre 40 e 50 minutos de exercícios por dia, no máximo. “O corpo precisa criar uma resistência à atividade física, que gera inflamação nos músculos. Com isso, ele aumenta a massa magra, aumenta a quantidade de mitocôndrias. Porém, uma carga de treinamento alto não é sinônimo de saúde”, defende. 

Sobre dietas que ora ou outra surgem nas redes sociais, o professor aconselha, sempre, buscar um profissional nutricionista e um educador físico. “Na maioria absoluta das vezes, essas ‘dietas’ são generalistas, e é importante procurar um profissional para individualizar o tratamento de acordo com os seus objetivos. Não busque informações só nas redes sociais”, alerta.

SEXO NÃO É ESPORTE

“Atuo há 35 anos anos no campo da sexologia e já vi muita bobagem, mas nunca imaginei que veria essa”, desabafa o coordenador do departamento de medicina sexual do Hospital Materdei, sexólogo e ginecologista, Gerson Lopes. Ele argumenta que, além de a prática sexual entidade como atividade física trazer todos os danos que exercícios em excesso trazem, há um desgaste emocional e banalização do sexo com a proposta da influenciadora. 

“Sexo não foi feito para ser dieta. É uma forma extremamente inadequada de ver o sexo, pela performance. Há gasto de energia, sim, mas a atividade sexual nunca deveria ser usada com esse fim, de dieta. Cinco horas de ginástica não é benéfico para ninguém, imagine de sexo”, argumenta o especialista. Sessões prolongadas de sexo pode, também, conforme Lopes, prejudicar a flora vaginal, além de causar problemas com o corrimento. 

“Isso pra mim é uma grande jogada de marketing, mas um marketing muito ruim, extremamente. Contrário ao conceito de sexualidade. Sexualidade é afeto, emoção, prazer, comunicação. Essa dieta é uma bobagem total. Todas as dietas mágicas que surgem afetam os profissionais sérios. Ela vem com um conceito totalmente besta. Totalmente irreal. Dá para desconfiar, até, se ela faz isso mesmo. A lesão maior é que fica é emocional, de banalizar uma coisa que já está banalizada e possivelmente influenciar outras pessoas”, conclui.

Fonte: https://www.otempo.com.br/interessa/dieta-do-sexo-musa-fitness-mineira-diz-que-emagreceu-transando-5h-por-dia-1.2399454
PLOX BRASIL © Copyright 2008 - 2020