Engler não descarta desistir de eleição se Justiça impuser Quintão como vice

Candidato escolheu a Coronel Cláudia para compor sua chapa, no entanto, presidente do PRTB municipal também se registrou, causando embate na legenda

Por mbps

16/10/2020 17h57 - Atualizado há 12 dias

Por causa de indefinição com relação à sua chapa, o candidato à Prefeitura de Belo Horizonte Bruno Engler (PRTB) não descarta a possibilidade de desistir das eleições de 2020. Atualmente, está nas mãos da Justiça Eleitoral a definição de quem será seu vice: Coronel Cláudia (PRTB), a qual foi escolhida por Engler, ou Mauro Quintão, presidente municipal da legenda e escolhido pela executiva nacional.

Em entrevista ao Café com Política, da rádio Super, na manhã desta sexta-feira (16), Bruno Engler disse que, caso Quintão permaneça na chapa, a campanha ficará prejudicada. "O PRTB não honra a sua palavra e tenta impor um candidato a vice. E isso para mim é uma atitude desonesta. Então, a gente fica em uma situação muito difícil. Eu confesso que espero um desfecho positivo da Justiça, mas vindo um desfecho negativo, nós vamos ter que avaliar", afirmou.

Arquivo: Plox

Em um cenário com Mauro Quintão de vice, o atual deputado estadual explica que trabalhar seria complicado. "Uma pessoa que não está tendo palavra e não está tendo acordo antes das eleições, como eu coloco essa pessoa na minha chapa e peço voto pra chapa?", argumentou.

Como O TEMPO mostrou no fim de setembro, Quintão disse que virou "questão de honra" se manter como vice e que não há possibilidade dele renunciar o cargo. "Antes não tinha vaidade de ser candidato a prefeito ou vice. Hoje já não abro mão, é questão de honra", declarou.

Bolsonaro

Em relação ao apoio explícito do presidente da República à sua campanha, Engler disse durante a entrevista que ela é fundamental para os eleitores conservadores da cidade o conhecerem mais. Sobre Bolsonaro ser mais atuante nas eleições paulistanas e cariocas, o candidato declara que não se incomoda, mas que qualquer gesto é bem-vindo.

"Eu acredito que o presidente Bolsonaro já deu a sinalização para o eleitorado mineiro, as pessoas têm visto. Ele falou disso nas lives dele e fez um vídeo que nós publicamos nas redes sociais deixando bem claro o posicionamento dele. Então, quem tiver interessado em saber quem é o candidato do presidente, tem todas as ferramentas para essa informação", falou.

Sobre outros candidatos a prefeito de BH proporem ideias que se alinham com a Presidência, o parlamentar diz não se importar, e considera essa atitude natural. Um exemplo disso é Lafayette Andrada (Republicanos) e Cabo Xavier (PMB), que propõem a implementação de escolas cívico-militares na capital.

"Eu penso que não há nada mais natural. O presidente Jair Bolsonaro teve em Belo Horizonte 55% dos votos no 1º turno e 65% no 2º. Ele é o político mais popular de BH e o mais importante no Brasil. Então, é natural que candidatos que estejam buscando o crescimento nas pesquisas tentem se aproximar dele", defende.

Propostas

Para a área de educação, assim como mencionado, Engler defende modelos militares nas escolas. "As escolas cívico-militares são um modelo que comprovadamente funciona. Onde ele foi aplicado, ele foi um sucesso. A gente não precisa ir longe. Basta ver aqui em BH mesmo a qualidade e a referências que são os colégios Tiradentes. Com ele, a gente consegue trazer através do MEC, com os modelos-piloto, o orçamento da União. Nele, basta a prefeitura aderir ao modelo", menciona o candidato.

Sobre o transporte, Engler diz que para isso melhorar, é preciso obras de infraestrutura e buscar parcerias com os poderes estadual e federal. Especificamente sobre o metrô, ele acredita que a sua expansão chegará, e que isso só não aconteceu ainda por causa de empecilhos jurídicos, já que vontade de Bolsonaro e do ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, não faltam, de acordo com ele.

Sobre o problema dos alagamentos e inundações que assolam BH quase todos os anos, inclusive provocando mortes, o deputado pelo PRTB estuda uma mudança nos sistemas fluvial e pluvial do município. "São duas obras que eu considero importantíssimas: A primeira, é investir em desassoreamento dos rios, que estão hoje encobertos. Porque se você tem ali um material obstruindo a passagem da água, isso faz com que a enchente ocorra de maneira muito mais rápida", expõe.

"E eu conversei com alguns engenheiros e especialistas em gestão fluvial. O que me foi apresentado é que a origem do problema das enchentes é que, a água de onde ela cai, corre de maneira muito veloz para a bacia hidrográfica. Um modelo que me foi apresentado inovador, que me parece promissor e que pode ser aplicado, consiste na reforma do nosso sistema, como nas bocas de lobo, colocando ali barreiras que imitam as que antes existiam, de maneira a fazer com que a água corra de maneira mais devagar. Assim, você ajuda a evitar enchentes, porque a água vai chegando de maneira mais escalonada na bacia", concluiu.

 

Fonte: https://www.otempo.com.br/hotsites/eleicoes-2020/engler-nao-descarta-desistir-de-eleicao-se-justica-impuser-quintao-como-vice-1.2399748
PLOX BRASIL © Copyright 2008 - 2020