Coreia do Norte rejeita diálogo e ameaça levar tropas à fronteira

17/06/2020 07:43

Após implodir prédio mantido em parceria com a Coreia do Sul, regime de Pyongyang não aceita envio de diplomatas proposto por Seul e eleva tensão

Após implodir o prédio que abrigava o escritório que mantinha em conjunto com a Coreia do Sul para negociar relações bilaterais, a Coreia do Norte deu novas mostras de que abandonou a diplomacia em suas negociações com o país vizinho.

Prédio na cidade fronteiriça de Kaesong foi implodido KCNA via Reuters - 16.6.2020

Prédio na cidade fronteiriça de Kaesong foi implodido

KCNA via Reuters - 16.6.2020

A agência de notícias norte-coreana KCNA divulgou, nesta terça-feira (16, horário de Brasília, manhã de quarta no horário local), que o governo do país recusou o envio de representantes diplomáticos proposto pela Coreia do Sul e pode enviar tropas para a região desmilitarizada na fronteira entre os dois países.

Com isso, os acordos de paz assinados pelas Coreias nos últimos anos e a negociação para o fim do programa nuclear norte-coreano parecem cada vez mais fadados ao fracasso.

Sem negociação

Antes da implosão do prédio, que ficava na cidade fronteiriça de Kaesong, o presidente sul-coreano tentou negociar o envio de dois importantes membros de sua diplomacia, o assessor de segurança nacional Chung Eui-yong e o chefe de inteligência Suh Hoon como emissários para a retomada das negociações.

 

O comunicado da KCNA diz que Kim Yo-jong, irmã do líder norte-coreano Kim Jong-un e atualmente figura cada vez mais importante no regime, recusou a proposta. A agência diz que essa tática de Moon "cria frequentemente propostas sem fundamento, mas tem que entender que esse truque não vai mais funcionar conosco".

O regime de Pyongyang vem elevando o tom contra os sul-coreanos nas últimas semanas, desde que um grupo de dissidentes norte-coreanos soltou balões com panfletos contra o governo de Kim Jong-un em cidades na fronteira.

Fonte: https://noticias.r7.com/internacional/coreia-do-norte-rejeita-dialogo-e-ameaca-levar-tropas-a-fronteira-16062020