Alunos do Cefet terão aula até 2021, e próximo ano letivo só começa em maio

17/07/2020 07:27

Estudantes e membros de conselho reclamam de falta de diálogo por parte da instituição federal

O Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet-MG) divulgou nesta quinta-feira (16) o restante do calendário do ano escolar 2020, que havia sido interrompido em março devido à pandemia de coronavírus. As atividades serão retomadas de maneira remota no dia 3 de agosto e se encerrarão no dia 24 de abril do ano que vem.

Cefet-MG tem dois campus em BH, ambos na avenida Amazonas  Foto: Uarlen Valério / O Tempo

Cefet-MG tem dois campus em BH, ambos na avenida Amazonas

Foto: Uarlen Valério / O Tempo

Esse retorno, porém, não agradou parte do corpo discente da instituição. Segundo Hersília de Andrade e Santos, coodenadora do Programa de Pós-Gradução em Engenharia Civil e integrante do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Cepe), faltou uma pesquisa sólida por parte da diretoria para a definição das datas.

 

"Uma das coisas que a gente mais tem pedido é o levantamento da real situação e das necessidades de alunos e professores, para saber o que eles estão querendo, porque esse é um momento muito excepcional. Existem alguns levantamentos, mas eles não chagaram a consolidar toda a comunidade acadêmica, apenas uma parte dela", disse.

Perguntada se ela acha que esse calendário deve ser modificado com o decorrer do tempo, Hersília acredita que isso pode acontecer. "A gente gostaria que sim, porque existe uma demanda enorme. A questão da própria capacitação dos professores é algo a ser visto, mas temos que fazer um diagnóstico antes. Para se ter uma ideia, apenas agora chegou uma demanda perguntando quais seriam as matérias ofertadas. A gente entende que é importante esse processo, mas gostaríamos que ele tivesse um processo de construção", explicou.

 

Já de acordo com o representante titular dos alunos do ensino técnico no Cepe e presidente do Grêmio Estudantil da unidade Varginha do Cefet-MG, João Guidugli, esse calendário não deveria nem existir. "Primeiramente, não tinha que ter ensino remoto. Essa construção, que eles dizem, na verdade, foi imposta pela diretoria. Acreditamos não tem nenhum paliativo que resolva o problema do ensino remoto", afirmou.

O estudante ainda reclamou da falta de diálogo da instituição com os alunos. "Eles tentam impor uma coisa que não está construída, porque cada hora tem um conversa. As direções regionais não têm uma comunicação muito boa com os alunos. O calendário retoma em agosto, e falaram que vai ser menos matérias, depois falaram que vai ser todas, depois será primeiro normais e depois as técnicas. Nós não sabemos como vai ser o ensino remoto, mas queremos saber", conclui.

Ensino Remoto

O Ensino Remoto Emergencial foi aprovado no dia 3 de julho em caráter temporário. A resolução, do Cepe, prevê que os alunos que não puderem ou não quiserem aderir à modalidade podem trancar a matrícula.

O texto diz ainda que o processo de organização do ensino remoto deve ter como diretriz a oferta de condições pedagógicas, de infraestrutura e apoio psicossocial aos alunos em situação de vulnerabilidade socioeconômica ou com necessidades especiais e aos servidores que precisarem. Antes da implantação do regime remoto, os servidores devem ser qualificados para utilizar as ferramentas e metodologias necessárias.

Proposta

O Cepe apresentou uma proposta à diretoria do Cefet-MG com relação à retomada das atividades, com o objetivo principal de apresentar diretrizes gerais para a realização de um amplo diagnóstico dos impactos causados pela Covid-19 sobre a toda comunidade. Alguns pontos abordados seriam:

- Acesso de internet residencial;
- Condições de acesso de internet residencial (velocidade, tipo de
conexão);
- Compartilhamento do acesso de internet residencial;
- Disponibilidade dos dispositivos para acesso remoto (desktop, laptop,
tablet, smartphone);
- Compartilhamento dos dispositivos para acesso remoto;
- Condições de saúde física e mental do entrevistado e de sua família;
- Condições socioeconômicas do entrevistado e de sua família;
- Demanda de acompanhamento de atividades remotas em caso do
entrevistado ser portador de necessidades especiais.

Calendário

Confira quais foram as principais datas definidas:

Reinício do ano escolar: 03/08/2020
Reinício 1º sem letivo para pós-graduação: 03/08/2020
Reinício 1º sem letivo para graduação: 10/08/2020
Reinício 1º sem letivo para EPTNM: 12/08/2020
Semana de Acolhimento: 10/08 a 14/08
Término do 1º semestre letivo: 11/12/2020
Início do 2º sem letivo: 06/01/2021
Recesso escolar: 31/12/2020
Término do ano letivo: 24/04/2021
Férias Escolares: 16/12/2020 a 30/12/2020; 03/01 a 04/01/2021; 26/04 a 14/05/2021

Outro lado

A reportagem de O TEMPO solicitou um posicionamento ao Cefet-MG sobre essas reclamações citadas acima e a respeito da revisão do calendário, mas aguarda retorno.

Nesta quinta-feira, foi realizado um webnário para tratar do tema. Conforme a instituição, foram aplicados questionários para o conhecimento sobre os equipamentos utilizados pelos alunos, as formas de acesso, habilidades e atitudes sobre a participação em atividades remotas desse público. Na etapa de capacitação, professores e alunos foram orientados quanto ao funcionamento das aulas.

Fonte: https://www.otempo.com.br/cidades/alunos-do-cefet-terao-aula-ate-2021-e-proximo-ano-letivo-so-comeca-em-maio-1.2360860