O empresário que se deu mal ao doar R$ 1 milhão ao Inter – e promete mais

O objetivo era proporcionar a liberação do lateral Rodinei, que pertence ao Flamengo, e, por isso, só poderia atuar diante da equipe carioca mediante o pagamento de uma multa.

Por Plox

22/02/2021 15h30 - Atualizado há 8 dias

Um empresário rural ganhou destaque no noticiário esportivo no último fim de semana por um motivo inusitado. Elusmar Maggi Scheffer, torcedor fanático do Internacional, decidiu ajudar o então líder do Campeonato Brasileiro com uma doação de 1 milhão de reais. O objetivo era proporcionar a liberação do lateral Rodinei, que pertence ao Flamengo, e, por isso, só poderia atuar diante da equipe carioca mediante o pagamento de uma multa. O Inter aceitou o mimo e escalou Rodinei, que acabou expulso (em decisão contestada da arbitragem) no início do segundo tempo, na derrota por 2 a 1 que levou o Flamengo à liderança, a uma rodada do fim do torneio, no domingo 21. Nas redes sociais, muitos torcedores ironizaram a iniciativa de Maggi. O empresário, porém, não desanimou a prometeu mais: declarou abertamente que enviará mais dinheiro, desta vez ao São Paulo, adversário do Flamengo na rodada decisiva, em partida marcada para quinta-feira, 25, no Morumbi. A prática imoral de enviar dinheiro a outro clube como incentivo para uma vitória é conhecida como "mala branca" - diferente da "mala preta", totalmente ilegal, quando a quantia é enviada para que a equipe em questão perca. Elusmar Maggi é um famoso empresário radicado no Mato Grosso. É irmão de Eraí Maggi, o "rei da soja" e primo de Blairo Maggi, ex-governador do estado e ex-ministro da Agricultura do governo Michel Temer. Ele e o irmão são sócios do Grupo Bom Futuro e acionistas da Scheffer Agrobusiness. Em 2014, a família Maggi foi considerada a sétima mais rica do país pela revista.  O empresário se manifestou após a derrota para o Flamengo no Maracanã e tratou como vergonhosa a expulsão de Rodinei, que levou o vermelho, com auxílio do VAR, por um pisão em Filipe Luís. Ainda na primeira etapa, Rodinei chutou uma bola na trave. A doação de Elusmar foi realizada sem contrapartidas, ou seja, o Inter não precisará devolver a quantia. "É que nem aquela história: 'Tenho de fazer uma entrega no Rio de Janeiro e sei que vou ser roubado, mas tenho que ir lá'. Isso não existe, foi uma vergonha, o lance do Rodinei foi uma vergonha. Na quinta, vamos ser campeões", afirmou, em entrevista à Rádio Gaúcha no domingo. Na mesma entrevista, Elusmar revelou que enviará uma "mala branca" ao próximo adversário do Flamengo. "Vou injetar dinheiro no São Paulo para a gente ser campeão. Vou estudar com a minha parte jurídica como proceder amanhã. Vai ser 1 a 0 para a gente contra o Corinthians", completou. Para conquistar o Brasileirão pela primeira vez desde 1979, o Inter precisa vencer o Corinthians no Beira-Rio e torcer por ao menos um empate do Flamengo diante do São Paulo, no Morumbi.

Elusmar Maggi Scheffer, empresário do agronegócio de Mato Grosso
Elusmar Maggi Scheffer, empresário do agronegócio de Mato Grosso
Fonte: https://www.msn.com/pt-br/noticias/brasil/o-empres%c3%a1rio-que-se-deu-mal-ao-doar-rdollar-1-milh%c3%a3o-ao-inter-%e2%80%93-e-promete-mais/ar-BB1dU9N7
PLOX BRASIL © Copyright 2008 - 2021