Ipatinga

acontece

X FECHAR
ONDE VOCÊ ESTÁ?

    Necroses e infecções: cirurgiã plástica é acusada de mutilar pacientes

    Uma das pacientes que pagou por mamoplastia e lipoaspiração sofreu infecção bacteriana, foi internada e precisou receber enxerto de pele

    Por Plox

    24/11/2021 13h50 - Atualizado há 6 dias

    Uma cirurgiã plástica da clínica Lapitat, no Lago Sul, bairro nobre de Brasília, é investigada pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) e pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) por suposta negligência médica, após procedimentos estéticos, como mamoplastia e lipoaspiração mal sucedidos.

     

    Ex-pacientes da médica Milena Carvalho dizem que as cirurgias conduzidas por ela, em vez de trazerem bem-estar e satisfação com o próprio corpo, tornaram-se motivo de preocupação e até mesmo risco de morte.

    Uma das vítimas ouvida pelo Metrópoles desembolsou R$ 13.256 para fazer uma mamoplastia, com inserção de prótese nos seios. Esse tipo de cirurgia altera ou corrige o formato das mamas.

    À PCDF, ela contou que, um mês após a cirurgia, a mama direita estava inchada e os pontos se abriram. Ao procurar a médica via WhatsApp, a paciente foi informada que os seios estavam “lindos” e foi orientada a passar rifocina no local, medicamento que usou durante três meses.

    Ao perceber que as mamas apresentavam necrose, a mulher procurou outro profissional da área. O médico a informou, por meio de relatório médico, que ela teria desenvolvido sequelas permanentes decorrentes do procedimento estético. Cerca de oito meses depois da cirurgia, a paciente relata que Milena a procurou para aconselhá-la a “fazer uma tatuagem” na região da aréola para “refazer o bico do mamilo”.

     

    Em julho deste ano, outra paciente procurou a médica e acertou a retirada de pele e gordura da barriga. A cirurgia custou cerca de R$ 30 mil, pagos à vista. Advogado da vítima, Jadson Carvalho Lino disse que outros médicos, procurados pela cliente antes de firmar acordo com Milena, exigiram o emagrecimento da paciente antes da realização do procedimento em questão.

    Ele ressalta que o parecer da médica foi diferente dos demais profissionais do ramo. Todos haviam recomendado a perda de peso, alegando risco durante a cirurgia.

    Ao todo, 12 vítimas criaram um grupo de denúncia contra a médica. As identidades delas serão preservadas por tratar-se de um tema sensível. Jadson Carvalho Lino representa quatro mulheres e acionou o Conselho Regional de Medicina do Distrito Federal (CRM-DF).

    Um segundo advogado representa outra vítima, que acionou o MPDFT, o CRM-DF e deixou relato no Reclame Aqui. Todas as vítimas registraram ocorrência na PCDF, que investiga os casos.

    Confira as imagens chocantes do pós-operatório:

    Barriga necrosada

    Mais de 10 vítimas apontam negligência da médica e a denunciaram à JustiçaMaterial cedido ao Metrópoles

     

     

    Aréola necrosada
    Vítima sofreu infecção bacteriana após realizar mamoplastiaMaterial cedido ao Metrópoles
    Barrigada necrosada
    Vítima sofreu infecção bacteriana após realizar mamoplastiaMaterial cedido ao Metrópoles
    Aréola necrosada cicatriz

     

    Segundo o relato de uma das pacientes, como consta no registro policial, a ferida infeccionou durante o pós-operatório. Preocupada com as deformações que se espalhavam pelo abdômen, ela enviou mensagem à médica, que teria respondido: “Tá normal. Tá lindona”.

    A paciente, então, iniciou o tratamento com outro médico, que, ao detectar a gravidade da situação, determinou a internação imediata da paciente na unidade de terapia intensiva (UTI) do Hospital Santa Luzia. Houve necrose e infecção generalizada por causa das feridas do abdômen.

    A mulher precisou passar por duas transfusões de sangue, devido a uma anemia, e foi submetida a outro procedimento cirúrgico antes de tratar a infecção ocasionada por duas bactérias. Segundo consta no documento policial, Milena ficou vários dias sem dar qualquer suporte presencial à paciente.

     

     

    Mais vítimas

    Uma blogueira da capital federal que acertou, em janeiro deste ano, a realização de mamoplastia com prótese e lipoaspiração – no total de R$ 23. 850 – também teve resultados desastrosos na cirurgia. O procedimento ocorreu em maio e, a partir daquele mês, a influencer precisou ter um dos seios costurados mais de 30 vezes, pois os pontos reabriam.

    Como as feridas não fechavam, a cirurgiã passou outras medicações. No entanto, a cicatriz do outro seio começou a inchar e a dar sinais de que também abriria após o fim do uso dos medicamentos.

    Ainda com as feridas abertas, a blogueira procurou outra médica, que diagnosticou a infecção dos seios pela bactéria Staphylococcus aureus. Segundo a Anvisa, as infecções causadas pelo agente são agudas e podem disseminar para diferentes tecidos e provocar focos metastáticos. Também são comuns em ambientes hospitalares e, geralmente, se desenvolvem na pele dos contaminados. Em episódios mais graves, podem causar pneumonia, inflamação do miocardio, meningite e osteomielite.

     

    “Minha sorte é que tenho condições de refazer [o procedimento estético]. Mas, querendo ou não, isso causa um trauma na gente”, lamenta.

     

    Outras vítimas relataram que perderam a visão, tiveram sequelas neurológicas, limitações motoras, ardência, cicatrizes, traumas psicológicos, sentem dor e ainda estão com a região sensível ao toque.

    Fiscalização

    Em agosto deste ano, a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) suspendeu, por 6 meses, os direitos e as prerrogativas da médica Milena Carvalho por autopromoção de imagem e uso indevido de propaganda. Procurada, a SBCP disse, em nota, que aguarda o pronunciamento conclusivo dos órgãos oficiais acerca dos fatos, para que possa se manifestar tecnicamente sobre o ocorrido e, agir no âmbito de suas funções.

    O Conselho Regional de Medicina do Distrito Federal (CRM-DF) e o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) também foram procurados. O CRM-DF respondeu que foi notificado da denúncia por meio do Ministério Público e está apurando os fatos, mas que as informações estão sob sigilo.

    O MPDFT, por meio da Promotoria de Justiça Criminal de Defesa dos Usuários dos Serviços de Saúde (Pró-Vida), esclareceu que consta em apuração uma única denúncia, que encontra-se em fase de requisição de prontuários. O nome da paciente é mantido em segredo.

    O outro lado

    Em nota, a médica Milena Carvalho alegou que “segue rígidos protocolos de cuidados e que acompanha seus pacientes antes, durante e depois dos procedimentos.”

    “A Dra. se coloca à disposição das autoridades para prestar qualquer esclarecimento, reforça que os fatos narrados são infundados e que não há qualquer comprovação ou condenação contra ela na Justiça por irregularidade em sua conduta como médica.”

    Fonte: https://www.metropoles.com/distrito-federal/pacientes-denunciam-cirurgia-plastica-do-df-apos-necroses-e-infeccoes
    PLOX BRASIL © Copyright 2008 - 2021[email protected]