Ipatinga

acontece

X FECHAR
ONDE VOCÊ ESTÁ?

    De cartão de crédito a grifes e fast-food: veja as empresas que saíram da Rússia por causa da guerra

    Três meses após a invasão da Ucrânia, mais de 40 marcas já suspenderam negócios no país chefiado por Putin

    Por Plox

    26/05/2022 11h56 - Atualizado há cerca de 1 mês
    Após a invasão da Ucrânia, em 24 de fevereiro, diversas marcas conhecidas e multinacionais deixaram a Rússia e abandonaram os investimentos que estavam sendo feitos no país desde 1991, após a reabertura econômica. O R7 listou 15 empresas que já anunciaram sua saída do território russo e suspenderam seus serviços no país *Estagiária do R7, sob supervisão de Raphael Hakime
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  

    Após a invasão da Ucrânia, em 24 de fevereiro, diversas marcas conhecidas e multinacionais deixaram a Rússia e abandonaram os investimentos que estavam sendo feitos no país desde 1991, após a reabertura econômica. O R7 listou 15 empresas que já anunciaram sua saída do território russo e suspenderam seus serviços no país

     

    1. Visa e MasterCard: as operadoras de cartão de crédito suspenderam a atuação na Rússia no dia 5 de maio. De acordo com a Visa, cartões dessa bandeira emitidos no país vão deixar de operar fora da Federação Russa. Enquanto isso, a MasterCard informou que cartões emitidos por bancos russos não serão mais válidos. Os plásticos MasterCard emitidos fora do país também não funcionarão em caixas eletrônicos ou comércios russos
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  

    1. Visa e MasterCard: as operadoras de cartão de crédito suspenderam a atuação na Rússia no dia 5 de maio. De acordo com a Visa, cartões dessa bandeira emitidos no país vão deixar de operar fora da Federação Russa. Enquanto isso, a MasterCard informou que cartões emitidos por bancos russos não serão mais válidos. Os plásticos MasterCard emitidos fora do país também não funcionarão em caixas eletrônicos ou comércios russos

    PIXNIO

    2. Adidas e Nike: a marca alemã rompeu o contrato com a Federação Russa de Futebol, da qual era patrocinadora e fornecedora de material esportivo para a seleção do país. Já a americana Nike fechará de forma temporária todas as suas lojas na Rússia, impossibilitando também as compras em seu site e aplicativo
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  

    2. Adidas e Nike: a marca alemã rompeu o contrato com a Federação Russa de Futebol, da qual era patrocinadora e fornecedora de material esportivo para a seleção do país. Já a americana Nike fechará de forma temporária todas as suas lojas na Rússia, impossibilitando também as compras em seu site e aplicativo

    Wikimedia Commons; Evgenia Novozhenina/Reuters - 25.5.2022

    3. McDonald's: a rede americana de fast-food informou, no dia 16 de maio, que iria abandonar e vender todas as suas operações no país após 30 anos na Rússia. Com isso, as lojas foram fechadas. A suspensão das atividades já havia sido anunciada pela rede de restaurantes no mês de março
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  

    3. McDonald's: a rede americana de fast-food informou, no dia 16 de maio, que iria abandonar e vender todas as suas operações no país após 30 anos na Rússia. Com isso, as lojas foram fechadas. A suspensão das atividades já havia sido anunciada pela rede de restaurantes no mês de março

    Wikimedia Commons

    4. Disney, Sony e Warner: as três grandes marcas de entretenimento suspenderam as estreias de seus filmes nos cinemas da Rússia. As empresas justificaram a medida citando a
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  

    4. Disney, Sony e Warner: as três grandes marcas de entretenimento suspenderam as estreias de seus filmes nos cinemas da Rússia. As empresas justificaram a medida citando a "trágica crise humanitária” que a guerra entre Rússia e Ucrânia provocou. Assim, não foram exibidos nos cinemas do país os filmes Red — Crescer É uma Fera, Morbius e O Batman

    PxHere; Pexels; Montagem R7

    5. Apple: a marca interrompeu a venda de todos os produtos e parou todas as exportações em seus canais de venda na Rússia, como o Apple Pay. Além disso, mídias estatais russas, como RT News e Sputnik News, não estão mais disponíveis para download na App Store fora do país
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  

    5. Apple: a marca interrompeu a venda de todos os produtos e parou todas as exportações em seus canais de venda na Rússia, como o Apple Pay. Além disso, mídias estatais russas, como RT News e Sputnik News, não estão mais disponíveis para download na App Store fora do país

    Wikimedia Commons

    •  
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  

    6. TikTok, PayPal e Spotify: o aplicativo TikTok suspendeu a publicação de conteúdos russos. O PayPal congelou a entrada de usuários da Rússia em sua plataforma. O Spotify também deixou o país e fechou seu escritório local por tempo indeterminado

    Pixabay; Montagem R7

    7. Heineken: a cervejaria holandesa é outra a abandonar a Rússia. Apesar disso, a Heineken afirmou que busca realizar uma transferência dos negócios para um novo proprietário. Nesse caso, a companhia não vai gerar lucro para o grupo
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  

    7. Heineken: a cervejaria holandesa é outra a abandonar a Rússia. Apesar disso, a Heineken afirmou que busca realizar uma transferência dos negócios para um novo proprietário. Nesse caso, a companhia não vai gerar lucro para o grupo

    Wikimedia Commons

    •  
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  

    8. Chanel e Prada: as marcas de luxo suspenderam suas operações na Rússia e também as vendas no varejo

    Wikimedia Commons; Pixabay; Montagem R7

    9. Unilever: a multinacional decidiu interromper todas as importações e exportações no território russo e anunciou que não fará mais investimentos no país, além de suspender qualquer propaganda da marca. Apesar disso, tendo em vista as necessidades da população em meio à guerra, produtos ligados a alimentação e higiene pessoal continuarão sendo fornecidos, mas sem reversão de lucros para a empresa
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  

    9. Unilever: a multinacional decidiu interromper todas as importações e exportações no território russo e anunciou que não fará mais investimentos no país, além de suspender qualquer propaganda da marca. Apesar disso, tendo em vista as necessidades da população em meio à guerra, produtos ligados a alimentação e higiene pessoal continuarão sendo fornecidos, mas sem reversão de lucros para a empresa

    Wikimedia Commons

    10. Toyota, Volvo e Renault: as três empresas de automóveis decidiram agir com embargos à Rússia. A Toyota anunciou que vai suspender a produção em sua única fábrica no território e interromper o envio de veículos para o país. A montadora Volvo também suspendeu, sem previsão de retorno, as exportações para o país. A Renault vendeu, neste mês, seus ativos na nação à Rússia
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  

    10. Toyota, Volvo e Renault: as três empresas de automóveis decidiram agir com embargos à Rússia. A Toyota anunciou que vai suspender a produção em sua única fábrica no território e interromper o envio de veículos para o país. A montadora Volvo também suspendeu, sem previsão de retorno, as exportações para o país. A Renault vendeu, neste mês, seus ativos na nação à Rússia

    Pexels

    11. L'Oréal: a famosa marca de cosméticos fechou todas as lojas na Rússia. Porém a fábrica instalada perto de Moscou, responsável pela produção de xampus, corantes, produtos de higiene e itens para bebês, seguirá ativa. Todos os investimentos industriais e em publicidade foram suspensos
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  

    11. L'Oréal: a famosa marca de cosméticos fechou todas as lojas na Rússia. Porém a fábrica instalada perto de Moscou, responsável pela produção de xampus, corantes, produtos de higiene e itens para bebês, seguirá ativa. Todos os investimentos industriais e em publicidade foram suspensos

    Wikimedia Commons

    12. Shell: a rede de postos de gasolina afirmou que deixará todas as operações na Rússia. Com isso, a empresa vai renunciar a dois grandes projetos locais e, segundo a Bloomberg, terá uma perda de US$ 3 bilhões (cerca de R$ 14,4 bilhões)
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  

    12. Shell: a rede de postos de gasolina afirmou que deixará todas as operações na Rússia. Com isso, a empresa vai renunciar a dois grandes projetos locais e, segundo a Bloomberg, terá uma perda de US$ 3 bilhões (cerca de R$ 14,4 bilhões)

    Wikimedia Commons

    13. Embraer e Boeing: a Embraer não fará mais serviços de manutenção, peças e suporte técnico para países que são alvo de sanções, o que inclui a Rússia, devido à invasão da Ucrânia. Assim como a empresa brasileira, a Boeing suspendeu consertos e assistências para companhias aéreas russas, além de paralisar operações no campo de treinamento de Moscou
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  

    13. Embraer e Boeing: a Embraer não fará mais serviços de manutenção, peças e suporte técnico para países que são alvo de sanções, o que inclui a Rússia, devido à invasão da Ucrânia. Assim como a empresa brasileira, a Boeing suspendeu consertos e assistências para companhias aéreas russas, além de paralisar operações no campo de treinamento de Moscou

    Denis Balibouse/Reuters - 23.5.2022; Reprodução site/Boeing; Montagem R7

    14. Starbucks: a rede anunciou, no dia 8 de maio, que não iria mais atuar no mercado russo, o que inclui interromper as importações de produtos e cafés vendidos por uma marca licenciada. As quase 2.000 pessoas que dependem da empresa para subsistência receberão suporte
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  

    14. Starbucks: a rede anunciou, no dia 8 de maio, que não iria mais atuar no mercado russo, o que inclui interromper as importações de produtos e cafés vendidos por uma marca licenciada. As quase 2.000 pessoas que dependem da empresa para subsistência receberão suporte

    Anton Vaganov/Reuters - 23.5.2022

    15. Coca-Cola: a empresa de bebidas suspendeu negócios na Rússia em março. Com isso, produtos da marca estão praticamente ausentes das prateleiras no país e o que restou custa extremamente caro. A solução encontrada para suprir a falta dos refrigerantes da empresa foi divulgada pela Ochakovo, fabricante de bebidas russa, que lançou a CoolCola, a Fancy e a Street, correspondentes à Coca-Cola, à Fanta e à Sprite
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  

    15. Coca-Cola: a empresa de bebidas suspendeu negócios na Rússia em março. Com isso, produtos da marca estão praticamente ausentes das prateleiras no país e o que restou custa extremamente caro. A solução encontrada para suprir a falta dos refrigerantes da empresa foi divulgada pela Ochakovo, fabricante de bebidas russa, que lançou a CoolCola, a Fancy e a Street, correspondentes à Coca-Cola, à Fanta e à Sprite

    Fonte: https://noticias.r7.com/internacional/fotos/de-cartao-de-credito-a-grifes-e-fast-food-veja-as-empresas-que-sairam-da-russia-por-causa-da-guerra-26052022
    PLOX BRASIL © Copyright 2008 - 2022[email protected]