Governador do DF fala em acelerar desmobilização de acampamentos dos manifestantes

Simone Tebet é nomeada ministra do Planejamento

Por Plox

27/12/2022 17h41 - Atualizado há mais de 1 ano

O Politicando desta terça-feira (27) fala sobre a nomeação de Simone Tebet (MDB) para o ministério de Planejamento, a desmobilização de acampamentos de manifestantes na porta do Quartel-General em Brasília e a troca de comandos no Exército e Marinha. Além disso, também será pauta a entrada de suspeitos de terrorismo no Senado.

 

Tebet ministra

A senadora Simone Tebet (MDB) será a nova ministra do Planejamento no governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O presidente eleito ofereceu a ela a pasta que comanda o Orçamento da União.

"Não vai ter nenhum tipo de exposição. Vamos resolver juntos os problemas”, disse Tebet a Lula sobre trabalhar com Haddad, futuro ministro da Fazenda.

Ricardo Stuckert/Lula

 

Em resposta, Lula disse que sabe das diferenças de visão sobre a economia e “isso pra mim não é um problema. Sei que você é equilibrada e qualquer divergência eu decido”.

O Ministério do Planejamento participará do Programa de Parcerias e Investimentos (PPI), inclusive do comitê gestor, a coordenação seguirá com a Casa Civil.

Acampamentos de manifestantes em Brasília

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, disse hoje (27) que a Secretaria de Segurança Pública negocia com o Exército para acelerar a desmobilização de acampamentos instalados em frente ao Quartel-General em Brasília.

Segundo ele, cerca de 40 barracas já foram retiradas e a expectativa do governo é que, até o próximo domingo (1º), dia da posse presidencial, haja uma redução na quantidade de manifestantes que rejeitam os resultados das eleições de outubro e permanecem no local. “A gente espera que essa desmobilização ocorra de forma natural.”

Foto: reprodução

 

Em coletiva de imprensa no Palácio do Buriti, o chefe do Executivo local destacou que todo o efetivo da Polícia Militar do Distrito Federal estará em condições para atuar na cerimônia de posse do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva. Ibaneis disse que haverá ainda apoio por parte da Polícia Civil, de forma infiltrada, sobretudo, devido aos “últimos acontecimentos”, ao se referir à tentativa de explosão de uma bomba no Aeroporto Internacional de Brasília no último sábado (24), véspera de Natal.

Regras de acesso ao Senado

Restrições para entrada no Senado foram tomadas pelo diretor da Secretaria de Polícia Legislativa, Alessandro Morales, com autorização do presidente da Casa, Rodrigo Pacheco, e da diretora-geral, Ilana Trombka. A medida acontece após a Polícia Militar do Distrito Federal encontrar explosivos nos arredores do aeroporto e de uma cidade administrativa no último fim de semana. As restrições valem até a posse presidencial, marcada para 1º de janeiro.

Fotos: Marcos Oliveira/Agência Senado

 

Randolfe aciona Pacheco para saber quem autorizou entrada de suspeitos de terrorismo no Senado

Nessa segunda-feira (26) o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) enviou a Pacheco, presidente do Senado, um ofício para saber quem autorizou a entrada do empresário bolsonarista George Washington de Oliveira Sousa em uma comissão da Casa, no fim de novembro.

O empresário foi preso em Brasília, na véspera de Natal por ter colocado artefatos explosivos em um caminhão tanque próximo ao Aeroporto Internacional da capital do Brasil.

Destaques