Auxílio Emergencial: Governo quer fracionar novas parcelas de R$ 600; entenda

30/06/2020 18:43

Segundo o presidente da Caixa, o banco poderá fracionar a parcela de R$ 600 durante o mês, fazendo depósitos de valores que, ao todo, deve totalizar R$ 600

Após o anúncio da prorrogação do auxílio emergencial, o Governo pretende fracionar as parcelas de R$ 600, em parcelas menores durante o mês de pagamento.

Após a cerimônia de assinatura, que prorrogou o auxílio emergencial, no palácio do Planalto, Pedro Guimarães, presidente da Caixa, afirmou que o governo tem alguns dias para estudar e fazer o anúncio de como será o pagamento das parcelas.

Segundo o presidente da Caixa, o banco poderá fracionar a parcela de R$ 600 durante o mês, fazendo depósitos de valores que, ao todo, devem chegar à R$ 600 no fim dos 30 dias.

Veja:

 

Durante a cerimônia, Paulo Guedes, ministro da Economia, disse que o governo pensa numa forma de fazer uma “aterrissagem” desse valor de R$ 600.

A proposta de Paulo Guedes é para que o pagamento seja feito de forma escalonada dentro do mês. Um exemplo citado pelo ministro é:

4ª parcela
1° depósito: R$ 500
2° depósito: R$ 100

5ª parcela
1° depósito: R$ 300
2° depósito: R$ 300

Escala de pagamentos

Segundo Pedro Guimarães, o cronograma de pagamento das novas parcelas ainda será divulgado após serem analisadas as melhores possibilidades.

De acordo com o presidente da Caixa, o calendário está pronto, mas aguarda autorização do ministro Paulo Guedes.

 

Veja também:

Auxílio Emergencial: Bolsonaro confirma extensão; saiba o valor das parcelas